We Came As Romans – Agitando o Rio de Janeiro

O We Came As Romans tocou no ultimo domingo  28 de agosto de 2016, no tradicional Teatro Odisseia no Rio de Janeiro, a banda que é uma das revelações da música pesada, fez duas apresentações no Brasil, após uma série de shows importantes pelos principais festivais Europeus.

O público no Teatro Odisseia era pequeno, porém muito animado, fãs levaram, presentes e cartazes para homenagear a banda que subiu ao palco deu boa noite já mandaram um petardo “Regenerate”, porrada logo no começo, para citar o público, toda a banda estava com camisetas do Brasil com o nome de cada integrante nas costas o que deixou a galera ainda mais feliz lá na pista, pequenos detalhes que fazem toda a diferença.

 

we came 4

O som do We Came As Romans ao vivo é muito vivo e intenso a banda consegue colocar aquelas passagens pula pula, muito bem encaixadas que contamina o povo na pista não deixando ninguém parado como em “Fade Away” e”Ghosts” músicas bem montadas e com passagens muito bem estruturadas  que com certeza são a cara e identidade da banda atualmente.

A banda estava muito a vontade no palco com destaque para os vocalistas David StephensKyle Pavone, que agitaram e brincaram muito com a galera esse ultimo muito acionado nas passagens mais melódicas das canções deixando a parte ais agressiva para David, que sempre era sorrisos em cima do palco.

 

we came 1

 

Como já dito, o público era pequeno porém isso não influencio em nada a banda que tocou com todas as energias em cima do palco e desfilou agressividade e energia em canções como “Pray for Me”, onde se sentia na banda o prazer de estar tocando. Até mesmo em músicas mais lentas como  “Never Let Me Go”  o público cantou como nunca provando que a quantidade de pessoas ali era o de menos.

No fim um agradecimento e os caras mandam “Hope”, para delírio do público que pulou e pulou sem parar, um belo show, que mesmo com um público modesto foi não deixou um minuto de ser muito animado, provando que o que vale em shows é a qualidade do público e não a quantidade.

Tagged with:
2
Matéria enviada por Lucas Amorim

Similar articles