Vinny Appice – Live São Paulo – 06/06/2015

Texto e fotos por Ismar Ferreira

 

Na última semana, o renomado baterista Vinne Appice (Black Sabbath, Dio) esteve no Brasil para uma série de workshows, em São Paulo o local escolhido foi o Gillan’s Inn, uma casa relativamente nova, mas com uma excelente estrutura localizada na região central da cidade.

A abertura do espetáculo ficou por conta dos bateristas Amilcar Christófaro (Torture Squad) e Dino Verdade que estão lançando o DVD do método Mundo Double Bass, com uma série de exercícios e possibilidades de aplicação da técnica de dois bumbos em diferentes estilos.

Estava um tanto curioso para saber como seria andamento da apresentação, visto que por se tratar de uma casa noturna e pela maior parte do púbico não ser composta por músicos, talvez a estrutura habitual de um workshop não fosse a mais adequada. Os músicos se alternaram durante o show, enquanto Amilcar demonstrou suas músicas acompanhando por um playback de faixas do Torture Squad, Dino seguiu por uma linha bem diferente, apresentando alguns temas de Jazz e ritmos latinos, o que tornou a apresentação bem interessante por conta do contraste entre os estilos, embora o enfoque fosse a técnica apresentada por ambos. Ao final da apresentação, também tocaram juntos uma peça inédita, composta especialmente para esse lançamento.

Vinny 2

Para a esse show, Vinny Appice tocou acompanhado pela banda Evil Eyes – Dio Cover Brazil, banda já conhecida na noite paulistana por manter o legado do grandioso Ronnie James Dio. Pouco depois de meia noite os acordes mais do que conhecidos e amados de Stand Up and Shout ressoam por todo o Gillan’s Inn e obviamente as mesas do local não são suficientes para segurar a galera que levanta e canta junto cada um dos versos da clássica faixa de abertura do disco Holy Diver, que é seguida pela faixa título do mesmo. Na sequência, mais dois clássicos para nenhum fã do Black Sabbath botar defeito: Children of the Sea e I e assim termina a primeira parte do show.

Após o primeiro ato, o show é interrompido para uma breve sessão de perguntas, Vinny Appice mostrou simpatia e proporcionou muitas risadas ao dizer que não lembrar como o polêmico Live Evil soa porque não o escuta há mais de 30 anos e ao afirmar que toca com as baquetas invertidas porque a posição tradicional é o modo como as garotas devem tocam. Apesar do tom de brincadeira, a sessão de perguntas foi bem interessante principalmente pelo clima intimista entre os fãs e o lendário baterista.

vinny3

Após a essa interação como público, a banda retorna com mais dois petardos dos tempos de Black Sabbath: Mob Rules seguida por Heaven and Hell, nesse momento era difícil dizer quem eram os mais felizes ali, o público ou banda formada por João Luiz Voice (vocal), Silvio Lopes (guitarra) e Cesar Manolio (baixo), me arrisco dizer que eram os músicos, pois obviamente estavam realizando um sonho ali. A apresentação seguiu com um solo e terminou em grande estilo com The Last in Line. Um show bem curto, mas que cumpriu muito bem sua proposta. Apesar do que deu a entender nos vídeos de divulgação, Appice não atendeu os fãs e foi embora logo após o final do show, nada que tire o mérito do evento.

Já com o público um pouco reduzido e com o baterista titular, Amilcar Christófaro, a Evil Eyes ainda brindou os remanescentes com ótimas interpretações de outros clássicos (dificil escrever sobre o repertório do mestre sem repetir essa palavra) tanto do Rainbow como Dio, fechando a noite com chave de ouro, tenho certeza que quem ficou até o final não se arrependeu.

 

2
Matéria enviada por Lucas Amorim

Similar articles