U.D.O – O Accept Virou Passado

Texto: Lucas Amorim

Fotos: Aline Narducci

A Cidade de São Paulo recebeu um encontro de peso no último dia 15/11/2015, pois duas lendas do Heavy Metal uniram as forças e fizeram à alegria de um público que se encantou com as performances de U.D.O, Blitzkrieg e uma participação mais que especial, Jess Cox, Ex Vocalista do Tygers Of Pan Tang, e o Heavy World compareceu nesse lendário evento e te conta como foi.

Uma casa ainda timida, essa foi a sensação que tivemos assim que ingressamos dentro do Via Marquês, porém os já presentes já ensaiavam um coro chamando o vocalista Jess Cox, que fez uma rapidíssima apresentação cantando clássicos do álbum Wild Cat do Tygers Of Pan Tang, e isso já serviu para animar a galera enquanto o resto do povo chegava.

 

Jess Cox

Na seqüência com a casa um pouco mais cheia, foi a vez dos caras do Blitzkrieg, com lendário e simpático Brian Ross, mandar ver no palco clássicos eternos de um dos nomes mais importantes da NWOBHM (New Wave of British Heavy Metal), importante movimento musical que começou em 1970, no Reino Unido, e catapultou grupos como Venom, Def Leppard, Saxon, Iron Maiden, Diamond Head, Raven, Avenge, Girlschool, Grim Reaper, Satan, Tank e até hoje influencia bandas por todo mundo, daí você já tira a importância dos caras não é ?

Clássicos absolutos como,Armageddon,Inferno,Hell to Pay, misturados com sons mais recentes como Dark City por exemplo, embalaram a galera que fez uma volta ao tempo e se divertiu muito, teve tempo até para um cover clássico do Satan, a ótima Pull the Trigger, que animou anda mais essa mega apresentação. O vocal do Brian Ross ainda está muito bom, o cara agita muito ao vivo, tem ainda tem aquele vocal grave, com umas pegadas melódicas e uns gritos de arrepiar.

 

BlitzkriegUma grande apresentação que não deixou ninguém decepcionado, uma grande banda, uma grande performance, um ótimo set list, e o resultado disso ?  Uma avalanche de sorrisos no palco, e para deixar ainda melhor a noite os caras  finalizaram com a ótima Buried Alive e o clássico que não poderia faltar e uma das mais esperadas da noite, Blitzkrieg e aquele riff introdutório de arrepiar, um ótimo show, mas ainda tinha o U.D.O.

E após alguns ajustes no palco o baixinho já entra com tudo, e com a casa um pouco mais cheia U.D.O já começa colocando ordem no lugar com as ótimas Speeder, Blitz of Lightning e King of Mean, e logo de cara todo mundo já sentiu o peso das guitarras, pois os caras tocam com vontade mesmo, com uma banda extremamente competente o U.D.O já prometia um show para ninguém ficar parado.

 

U.D.O

O vocalista apesar de ser baixinho é um gigante em sua simpatia, sempre sorrido, mandando uns acenos, e sempre cativando o público, essa receita combinada com sons como Independence Day, ou a ótima Black Widow é de chorar de emoção, aliás acredito que o U.D.O não tem fase ruim na sua carreira, ele sempre tocou e sempre foi fiel ao Metal de raiz e quem vai ao show e ouve aquele festival de riffs, solos e refrões matadores entende porque esse cara é respeitado no mundo todo.

Teve tempo de tomar um folego em canções como Tears of a Clown e Secrets in Paradise, mas era jogo rápido porque logo na sequência já era hora de porradas como Faceless World, a recente e poderosa Pain e uma das mais esperadas da noite Animal House, seguida de um som que resume a carreira do U.D.O, Metal Machine, e era o fim de uma gloriosa apresentação, mas claro que ainda tinha mais.

E esse mais foi os caras voltando e tocando 3 sons do lendário Accept para acender a galera de vez e o primeiro foi Metal Heart, seguida de Fast as a Shark e a cativante Balls to the Wall, que foram insaciavelmente agitadas por todo mundo na pista, alguns pulavam, se esgoelavam, relembrando esses clássicos absolutos. Após a banda se despede e vai embora, mas a turma fica e pede Princess of the Daw  que foi atendido prontamente, mais um Bis para alegria de todos e mais uma vez a galera agita muito um som que na minha opinião tem uma das melhores bases e refrões ja criados no Metal.

 

U.D.O 2

Uma grande apresentação do U.D.O, muitos queriam mais Accept, porém foi isso que ele tocou, acredito que o U.D.O tem muito matérial bom e quer tirar esse estigma de Aceppt das costas dele, e por isso está deixando esses clássicos de sua antiga banda de fora.  Como fã das duas bandas, acho que sempre dá para conciliar, porém ele escolheu parar, e temos que respeitar isso, e com toda certeza tocando ou não sons do Accept, o Show do U.D.O sempre terá músicas boas e de qualidade pois o cara é um grande artista.

 

Confira a galeria de fotos do evento:

 

U.D.O. - Live Via Marquês - 15-11-2015-7

2
Matéria enviada por Lucas Amorim

Similar articles