Tarja Turunen – O Nightwish ficou para trás

Texto por Ismar Ferreira

Fotos gentilmente cedidas por Gil Oliveira

 

Tarja Turunen está em turnê pelo Brasil novamente (pela quarta vez em cinco anos), e no último sábado foi a vez de São Paulo.

A abertura ficou a cargo dos paulistas da Mad Old Lady, que entraram no palco às 20:30 e foram muito bem recebidos pelo público no Tom Brasil. Entre as músicas do álbum “Power of Warrior” ainda sobrou um tempo para um cover do Metallica “Enter Sandman” e também para o muito bem humorado guitarrista Timo Kaarkoski tentar ensinar algumas palavras em finlandês para que plateia pudesse saudar a atração principal em seu idioma nativo, infelizmente foi apenas uma questão de minutos até que todos esquecessem o que haviam aprendido.

 

1508036_10204926099303226_6327922306284026669_n

 

Sem introduções pré gravadas, ou qualquer outra firula, exatamente à 22:09 Tarja e sua banda entraram no palco ao som de The Phantom of the Opera, de Andrew Lloyd Webber.

Se há uma palavra que define a apresentação de Tarja sem dúvida é contraste, tanto pela plateia, aparentemente formada por uma mistura de fãs de metal e de música pop, quanto pela postura da simpaticíssima cantora que em vários momentos tem que se esforçar para pegar os vários presentes que os mais aficcionados fazem questão de entregar em mãos, tudo isso ao som de suas canções que ao vivo ganharam uma roupagem muito mais pesada que nos álbuns de estúdio.

 

12063300_10204922897743189_1032837524087202750_n

 

Após uma sequência com 500 Letters, Ciarán’s Well e Falling Awake, um dos maiores clássicos de sua carreira solo, I Walk Alone, que ela fez questão de dedicar aos presentes que comparecem em grande número, mesmo com uma grande quantidade de eventos acontecendo no mesmo dia na cidade. Durante uma versão estrategicamente prolongada de Never Enough, a cantora sai do palco pra voltar com uma nova roupa e o mesmo vigor de antes e depois de uma trinca já conhecida Dark Star, Neverlight e Until Silence, uma pequena surpresa par aqueles que não pesquisaram os set lists na internet, a nova No Bitter End, que fará parte do próximo disco, e que até agora só foi tocada na turnê brasileira e que foi seguida por aquele que é um dos meus temas favoritos de James Bond “Goldfinger”, mas que não foi muito bem recebida pelo público.

 

12189012_10204922898583210_487454028652668334_n

 

A parte final do show contou com Deliverance, Victim of Ritual e Slaying the Dreamer, essa última a única música do Nightwish no show e que passa a impressão de ser apenas um presente dela para os fãs, pois clássicos de sua antiga banda não são mais necessários em seus shows.

Para o bis, Die Alive e Until my Last Breath onde Tarja literalmente foi pra galera, descendo do palco e fazendo contato direto alguns daqueles que cantaram todas suas músicas durante quase duas horas. Over the Hills and Far Away fechou essa divertida apresentação de uma das mais carismáticas artistas do nosso tempo.

Set list:

The Phantom of the Opera (Andrew Lloyd Webber)
500 Letters
Ciarán’s Well
Falling Awake
I Walk Alone
Anteroom of Death
Never Enough
Dark Star
Neverlight
Until Silence
No Bitter End
Goldfinger (John Barry)
Deliverance
Victim of Ritual
Slaying the Dreamer (Nightwish)

Bis:
Die Alive
Until My Last Breath
Over the Hills and Far Away (Gary Moore)

4
Matéria enviada por Aline Narducci

Similar articles