Suicidal Tendencies – PESADO COMO NUNCA, DIVERTIDO COMO SEMPRE

Por Bruno Nascimento

Vi o Suicidal Tendencies uma vez, naquele lendário show na Virada Cultural de 2012 (Saudades). Desta vez o grupo norte-americano capitaneado pelo carismático vocalista Mike Muir, tratou de divulgar o seu mais recente álbum, o excelente “World Gone Mad”, contando com a presença do grande baterista Dave Lombardo, conhecido pelo trabalho memorável com o Slayer, completando a banda, os dois guitarristas, Dean Pleasants e Jeff Pogan, e o baixista chileno Ra Díaz. Os fãs estavam muito satisfeitos por prestigiarem essa formação na turnê do último álbum.

A abertura ficou a cargo da banda Dead Fish, já conhecida por seu hardcore. Com mais de 20 anos de estrada o quarteto liderado por Rodrigo (vocal), Ric (guitarra), Alyand (baixo) e Marcão (bateria), segurou bem as pontas, fazendo uma apresentação com vários hits, cantados por parte do público. Foram 45 minutos de música e protestos contra políticos.

Depois do show, muitos roadies subiram ao palco para montar a grande bateria de Lombardo e afinar os outros instrumentos, após alguns longos minutos, enfim, tudo estava pronto, era hora do aguardado show.

Desde 1981 na ativa, os californianos são conhecidos por mesclar diferentes gêneros em sua música, que vão do punk ao funk, isso misturado com uma boa dose de thrash metal e até rap. Essa mistura no som da banda gera reflexo no público, os estilos e vestimentas eram diversos, coletes cheios de patches, tênis branco (sempre cano alto), meias na canela, camisas xadrez, bandanas, cabeludos e carecas, homens e mulheres de todas as idades, o que é muito interessante, a banda conseguiu reciclar o público ao longo dos anos e de tantas formações.

O os pratos da enorme bateria de Dave Lombardo começaram a soar, as guitarras anunciavam a primeira música, “You Can’t Bring Me Down”, faixa de abertura do disco “Lights…Camera…Revolution”(1990). A partir daí foram só pedradas, “I Shot Reagan”, ‘’Clap Like Ozzy” do disco recente, ‘’Freedumb”, ‘’Trip At The Brain”, “War Inside My Head”, “subliminal” uma versão muito mais pesada do que a gravada no álbum de estréia em 1983.

Em um dos maiores momentos da noite, Mike Muir recrutou as garotas presentes na plateia para subir ao palco enquanto a banda executava “Possessed To Skate’’, havia pelo menos umas 20 meninas cantando e dançando em cima do palco, ato que ainda foi repetido em “I saw Your Mommy”

O saldo final de um show do Suicidal Tendencies é sempre a diversão, muita gente suada, muito “mosh pit”, sem deixar de lado o lado engajado com a política que a banda sempre teve, esperamos por mais zona do S.T.aqui no Brasil.

 

Setlist:

1- You Can’t Bring Me Down
2- I Shot Reagan
3- Clap Like Ozzy
4- Freedumb
5- Trip at the Brain
6- Get Your Fight On!
7- War Inside My Head
8- Subliminal
9- Send Me Your Money
10- Possessed to Skate
11- I Saw Your Mommy
12- Cyco Vision
13- How Will I Laugh Tomorrow
14- Pledge Your Allegiance
15- Living For Life

Tagged with:
2
Matéria enviada por Lucas Amorim

Similar articles