Rhapsody – A Festa Power Metal em São Paulo

Fotos Fernando Pires

Texto Vinicius Coimbra

Dia 7 de Maio de 2017, com certeza uma data que deixou muitos fãs de Power Metal felizes, porém ao mesmo tempo tristes, com um sentimento de despedida. A data foi marcada pelo show de despedida do Rhapsody juntamente com o aniversário de 20 anos de um dos seus melhores discos, “Symphony of Enchanted Lands”.

A banda que havia acabado de passar pelo Chile, Rio de Janeiro, dessa vez desembarcava em São Paulo para realizar o show. A galera estava muito animada, afinal, você ir em um show do Rhapsody e saber que Fabio Lione, Luca Turilli, Dominique Leurquin, Patrice Guers e  Alex Holzwarth estarão no mesmo palco, membros clássicos do Rhapsody, ainda mais com “Symphony of Enchanted Lands” na íntegra é pra deixar qualquer fã doido!

A casa abriu por volta das 18:30 e aos poucos a galera foi entrando, pouco tempo após as portas abrirem já era dado o início da banda que abriria o show, e a banda escolhida foi o Armored Dawn, que também já havia feito a abertura do show no Rio de Janeiro e estava acompanhando o Rhapsody pelo Brasil. A banda como de costume fez um ótimo show, dessa vez tocando músicas do seu disco novo e também de seu primeiro disco “Power of Warrior”, algumas pessoas que estavam assistindo o show não conheciam a banda, porém foi uma ótima oportunidade para conhecerem, um show de abertura digno para o espetáculo que estaria por vir.

As cortinas se fecharam e a preparação para o palco já acontecia, a galera estava bem ansiosa, e confesso que também estava muito ansioso. Quando o relógio bateu 20:15 as cortinas começavam a se abrir e a casa já tinha enchido bastante, podíamos ver o palco bem montado com aquele dragão estampado atrás, os primeiros sons da música “Epicus Furor” eram tocados até que a banda sobe aos palcos para incendiar a galera logo de cara com “Emerald Sword”! A galera cantava a música toda com muita vontade e pulava demais, principalmente na hora do refrão épico da música. Como prometido pela banda, o disco seria tocado na íntegra, e assim fizeram.

A banda seguiu com outro clássico “Wisdom of the Kings” muito bem cantado pela galera, e Fabio Lione mandando muito bem no português pergunta como a galera esta, se estavam felizes, e ainda manda uma dizendo que “Vocês estão foda”!!  Logo após, Lione anuncia que essa música nunca foi tocada no Brasil, anuncia “Eternal Glory” e os sons das trombetas começam a tocar, nem preciso dizer que foi mais uma pra incendiar a galera, novamente com refrões épicos fazendo a galera cantar sem parar! Seguindo a ordem do disco, a banda anuncia “Beyond The Gates of Infinity” e quebra a sequência do disco com “Knightrider of Doom” do disco “Power of Dragonflame” fazendo a galera toda pular sem parar, até aqui deu pra ver que a banda não errou no setlist, pois em momento algum o show parecia “frio”, a galera retribuía a banda da melhor forma possível.

Dessa vez Lione anuncia novamente mais uma música que nunca foi tocada, dessa vez uma balada, a bela “Wings of Destiny” que foi seguida das duas porradas “The Dark Tower os Abyss” e “Riding The Winds of Eternity”. E para finalizar a sequencia do disco, Lione pede pra todo mundo cantar junto a faixa título “Symphony of Enchanted Lands” tocando o disco todo na íntegra como prometido. A banda sai dos palcos ficando apenas Alex para fazer um solo de bateria e logo volta para tocar mais clássicos, dessa vez foi a vez de “Land Of The Immortals”, “The Wizard’s Last Rhymes” seguida com um solo de baixo de Patrice e logo após “Dawn Of Victory”, talvez um dos pontos mais altos do show. O mais legal era vez todos os integrantes correndo por todas as partes do palco, principalmente Turilli e Dominique, que corriam sem parar agitando a galera a cada música que era tocada.

 

Porém destaco um ponto negativo no show, pois a banda estava sem tecladista, afinal quase todas as músicas possuem frases de teclado, que eram preenchidas pelo playback pois Alex Staropolli não veio, mas nada que estragasse o show.

A banda faz uma pequena pausa para voltar aos palcos para finalizar o show com as últimas músicas, claro que essas não poderiam faltar no set. “Rain of a Thousand Flames” seguida com a balada em italiano “Lamento Eroico” e mais uma vez Lione mostrando sua influencia da ópera. E para finalizar o espetáculo foi tocada “Holy Thunderforce”, cantada por todos no local e finalizando um show maravilhoso. Como disse, ficamos felizes pelo espetáculo, por ver a banda reunida, por assistir a execução de “Symphony of Enchanted Lands” na íntegra, por clássicos a mais, porém com um sentimento de tristeza por provavelmente nunca mais veremos esses caras reunidos novamente. Porém temos que agradecer a banda por proporcionar todos esses anos de boa música, com certeza um espetáculo que ficará na memória de todos que estiveram.

 

Tagged with:
2
Matéria enviada por Lucas Amorim

Similar articles