Pain of Salvation – Live São Paulo – 04/06/2015

Por Paula Alecio

E, depois de uma belíssima festa (Party os Salvation – Blackmore rock bar – 31/05/2015)… Pain of Salvation, mais uma vez para alegrar os fãs brasileiros na capital paulistana, dia 4 de junho de 2015, no carioca clube, em Pinheiros. Feriado de Corpus Christi. Um dia antes do aniversário do brilhante Daniel Gildenlöw!

Ao perguntar sobre a banda, descubro que o vôo com os equipamentos está atrasado. Surpresas iam rolar, segundo Daniel… mas essa, acho que pegou eles de surpresa! Já tinha uma grande fila na porta do carioca, muitos fãs ansiosos pelo show.
A casa abre as 18:00. O pessoal começa a entrar tranquilamente para vivenciar um dos shows mais emocionantes que vi. A banda de abertura está passando o som ainda. Tempo de entrar a maioria da galera. Casa lotada!

 

Seventh Seal 1
Seventh Seal
A Abertura fica por conta desses caras ai. A banda fez o show com seu novo line-up: Tiago Claro e Thiago Oliveira – guitarras, Roberto “Bob” Moratti – bateria, Victor Prospero – baixo, Leandro Caçoilo – vocal. Leandro é reconhecido pelo seu trabalho nas bandas Eterna e Soulspell. Especializou-se no prog metal no seu último álbum : “Mechanical Souls” de 2014. Banda originária do ABC paulista.

Começam o show as 18:30.

A bateria é de peso, dois bumbos, já posicionada bem no meio do palco, o que chama muita a atenção, não estava como comumente vemos, lá no fundo, onde quase não vemos o batera. Muito bem acompanhada pelo baixo imperial de 6 cordas de Victor.
Tocam apenas três sons de seu novo álbum já citado. Leandro nos explica que os equipamentos atrasaram em 7 horas para chegarem, e que por isso, tiveram que encurtar seu set, mas que tinham tocado as melhores pra galera. E ainda, mandaram ver sem passagem de som completa mesmo, o que ouvimos no começo, deveria ser só um teste de funcionamento dos equipamentos. Fato que se mostrou real no primeiro som, as guitarras … uma estava completamente out e a outra muito baixa. O publico pediu pra aumentarem-nas.

Eles o fizeram e mandaram mais duas músicas. A galera vibrou e curtiu. Parabéns Seventh, sem frescuras, mandaram um som… mesmo sobre condições adversas.. atitude… rock in roll! O encurtado show termina as 18:50.

 

Pain 1

 

Pain Of Salvation
Lá vem PoS! Banda Sueca, da Cidade de Eskilstuma, formada em 1991.

Line-up:
Daniel Gildenlöw – vocal, segundo guitar e gênio musical!
Daniel “D2” Karlsson – teclados
Léo Margarit – bateria
Gustaf Huelm – baixo
Ragnar ZSolberg – guitarra

Entram no palco as 19:16, precisamente!

Os integrantes entraram no palco aos poucos, aquele suspense básico! E temos Of two Begginings, seguida da master Ending Theme, Fandango e Trace Of Blood. Todos os integrantes estavam muito empolgados, mas Daniel, estava radiante de felicidade. Então ele pega o microfone e diz que todos comentam sobre sua fama de conversar com a galera, mas dessa vez, por conta do atraso, terá que ser breve pra poder mandar ver e tocar o set completo.

Ali.. ofegante.. inicia Linoleum, onde pede a interação do público e todos vibram muito. Seguem com Foreword e People passing By, canções do álbum Entropia de 1997, primórdios de PoS. Muita energia desses caras. Problemas, e soluções rápidas. O baixo de Gustaf soltou a correia, ele continuou, e recolocou sem perder o rebolado. A corda lá da guitarra de Daniel estourou, ele continuou a música até o final, substituindo os acordes, numa boa. A guitarra de Ragnar, estava falhando, e depois estourou a corda Ré, o que não o deteve, continuou bangueando e mandando ver!

Pain 2
Essa galera ai sabe muito bem o que faz! Não deixaram a peteca cair! Daniel disse que jamais cancelaria um show no Brasil! Pulou muito, como sempre, mas achei que ele estava especialmente feliz, apesar de tantos problemas. Quando vejo, ouço e sinto esse cara: Ele usa o corpo, sua voz e sua guitarra para mostrar para seus fãs, as músicas que sua alma faz! Compor belas canções é uma coisa ótima, executar as mesmas com emoção ao vivo, transmitindo a todos o que sua alma sente, é para poucos.

Então a surpresa: Daniel anuncia que o público poderia pedir o que quisessem que a banda iria tocar, jogando a palheta pra galera, fazendo graça. OMG!! E, em meio a muitos pedidos, Iter Impius! Sim, Eles tocaram! Os instrumentos dão lugar a uma luz azul, Daniel quase sentado, mostra ao que veio. O teclado, entoando aquele riff de piano. Momento emoção pura! Então os fãs, contagiados, cantam Feliz Aniversário para ele, que responde com uma brincadeira, dizendo que tinha ganhado muitos presentes dos fãs naquela semana, e que faria uma lista com o que estava faltando, disse que queria que um fã rico pudesse lhes dar um Ford Mustang, ou quem sabe um Dodge 1969. Eis que surge uma rosa! Uma fã a segurava desde o inicio do show, e, depois de gritar com a ajuda da galera, consegue entregá-la a Daniel. Depois do momento “fofo”, entoam Beyond the Pale.

 

Pain 3
Os integrantes simplesmente saem do palco, as 20:40. Retornam em seguida, com Ashes! Seguida de The Physics of Gridlock. Gustaf estava empolgado em todas as músicas, mas nessa.. o homem se transformou! Quanta emoção contida cara! Pulou, bangueou… uau. Ragnar, faltou levar um capote! Daniel muito muito feliz, não tirou o sorriso do rosto e, para infelicidade geral da nação PoS, fim.

Como disse durante a estadia dessas maravilhas aqui pelo Brasil (Entrevista com Daneil, Party of Salvation, etc…), emoção incrível!

Só o que resta é mesmo agradecer em nome de todos os Trully fans of PoS! Vocês tocam nossas almas caras! Foi um show muito mágico, que supera qualquer palavra que eu possa tentar escrever aqui. Que venham mais e mais vezes. Obrigado. Agradecimentos especiais ao Luciano Piantonni e ao Thiago Claro pelo credenciamento da equipe Heavy World.

 

Set List
1. Of two beginnings
2. End theme
3. Fandango
4. A trace of blood
5. Linoleum
6. !(Foreword)
7. People passing by
8. 1979
9. Falling
10. Rope ends
11. Dryad of the woods
12. Beyond the pale
Encore:
13. Ashes
14. The physics of gridlock

 

 

 

 

 

2
Matéria enviada por Lucas Amorim

Similar articles