Overload Music Fest 2017 – São Paulo

Texto – Vinicius Coimbra

Fotos –  Leandro Almeida 

Dia 16/09/2017 foi marcado por mais uma edição do renomado Overload Music Fest! Contando com um Line-up totalmente inédito, trazendo a consagrada banda norueguesa “Enslaved”, acompanhada da sensação mundial “Sólstafir” da Inslândia. O festival também traz os franceses do “Les Discrets” e o guitarrista norte-americano “John Haughm” conhecido por ser fundador do Agalloch.

A casa escolhida para o festival foi o Carioca Club, já escolhida em outras edições do festival. A casa estava marcada para abrir as 16:30 hrs e já havia saído o cronograma com o horário dos shows, onde os horários também era bem flexíveis.

 

Pois bem, começando pelo primeiro show da noite. O primeiro artista a se apresentar era o guitarrista John Haughm, que veio com a proposta de fazer um show experimental e instrumental, até então a casa não estava cheia mas a galera parou pra ver o músico.  Porém confesso que o show foi muito frio por algumas razões, não tinha banda no palco, além disso em nenhum momento o músico cumprimentou a galera presente ou disse algumas palavras além de se “esconder” em diversas roupas escuras, com chapéu e óculos escuro, onde mal dava pra ver o rosto, porém não cabe a mim julgar, o estilo do cara é desse jeito e a proposta de show era essa, uma chuva de riffs com melodias profundas e psicodélicas com uma espécie de filme passando no fundo do palco, porém após seu show o músico foi para a parte de fora trocar uma idéia com a galera e tirar algumas fotos.

A segunda apresentação ficou por conta dos franceses do “Les Discrets”, donos de um som indie rock também com pegadas de Shoegaze atualmente formada por Fursy Teyssier (Guitarra/Teclado), Winterhalter (Bateria) e Audrey Hadorn (Vocal) foram responsáveis por agitar a galera presente que já se fazia um público maior. A banda abriu o show com “L’Échappée” seguindo com “Les Feuilles de I’olivier”. A banda também com um estilo mais retraído, sem se comunicar muito com o público, mas ao invés disso retribuía com bastante entusiasmo executando suas músicas. Músicas como “Le Reproche”, a bela “Virée Nocture”, e pontos altos do show como “La Nuit Muette”, “La traversée” e o encerramento com “Song for Montains” para delírio da galera. Até então duas apresentações tanto quanto parecidas, mesmo a primeira sendo uma apresentação solo, basicamente tinham o mesmo estilo de ser um som com peso porém bastante melancólico, uma ótima apresentação do “Les Discrets”marcando ao festival!

 

A terceira banda a se apresentar foram os aclamados do Sólstafir, donos de um sonoridade única onde o público gritava o nome da banda antes da mesma subir ao palco! A banda das terras geladas da Islândia atualmente formada por Aðalbjörn “Addi” Tryggvason (guitarra/vocal), Sæþór Maríus “Pjúddi” Sæþórsson (guitarra) e Svavar “Svabbi” Austmann (baixo) vieram para o Brasil divulgando a turnê do álbum “Berdreyminn”!

A banda possui uma sonoridade muito peculiar, variando entre metal progressivo, Black metal e viking metal  com muitas melodias diferenciadas. Os caras abriram o show com “Silfur-Refur” seguindo com “Ótta” e “Náttmál” fazendo a galera pular e vibrar! A banda se mostrou mais comunicativa com o público e com uma presença de palco mais forte, mostrando entusiasmo a cada música que era tocada. Músicas como “Ísafold”, “Djákninn” e “Fjara” também rolaram na noite, e o que mais chamou atenção foi o vocalista Aðalbjörn “Addi” Tryggvason que subiu na grade e saiu andando por ela, cumprimentando toda a galera na pista enquanto executavam “Svatir Sandar”, ainda pegava o celular de alguns fãs pra tirar selfies e fazendo vídeos, demonstrando muita simpatia com a galera. E para finalizar o belo show dos caras, a música para fechar o set foi Goddess of the Ages, um belo encerramento e a banda agradeceu muito e disse que pretende voltar a pisar em terras brasileiras novamente!

 

E para finalizar o festival, era a hora da banda mais aguardada da noite subir ao palco, pela primeira vez no Brasil o grande Enslaved veio para celebrar seus 26 anos de estrada, uma das atrações mais aguardadas pelo público brasileiro esse ano inclusive sendo esta a única data da banda em terras latino americanas.

Atualmente formada por Ivar Bjørnson (Guitarra/Teclado), Grutle Kjellson (Baixo/Vocal), Ice Dale (Guitarra) e Cato Bekkevold (Bateria)  diretamente das terras geladas da Noruega, também donos de um som bem peculiar, sendo resumidamente um Black Metal Progressivo com muito peso!,

A banda abriu o show com “Ruun”, possuindo uma influencia completamente progressiva seguindo com  a bela “Death in The Eyes of Dawn” com os vocais sujos e agressivos de Grutle! Assim como as demais bandas, o Enslaved como um todo se mostrava muito animado pisando em terras brasileiras pela primeira vez, onde o público retribuía também muito animado de estar vendo os caras! A banda seguiu com “Ethica Odini” com passagens de muito peso e melódicas, onde os vocais guturais de Grutle eram divididos com os de Ivar Bjørnson que comandava os teclados.

 

Mais aí aquele Black Metal de raiz tinha rolar, e a banda mandou logo “Heimdallr” pra vir logo com dois pés no peito da galera, onde o peso, a agressividade comiam solto, mostrando as verdadeiras raízes do Black Metal norueguês, e além disso ainda tocaram os 11 minutos de pura insanidade de “Vetrarnótt”e a clássica “Allfǫðr Oðinn” dos primórdios da banda!

Grutle apresenta a banda para todos e assim como os demais se diz muito feliz por estar no Brasil, e saúda a galera bebendo uma cerveja! Para finalizar o showzasso dos caras, nada melhor que encerrar com a renomada “Slaget i skogen bortenfor” sendo mais um dos maiores clássicos, fechando um grande festival com chaves de ouro, com apresentações inéditas e de pura qualidade, com certeza apresentações memoráveis que o público que estava presente jamais vai esquecer.

Mais uma grande tacada da Overload, e que venham mais festivais assim!

Setlist “Les Discrets”:

L’Échappée

Les feuilles de l’olivier

Le Reproche

Virée Nocturne

Le Mouvement perpétuel

Chanson d’automne

Après l’ombre

La nuit muette

La traversée

Song for Mountains

 

Setlist “Sólstafir”

Silfur-Refur

Ótta

Náttmál

Ísafold

Djákninn

Fjara

Svartir Sandar

Goddess of the Ages

 

Setlist “Enslaved”

Ruun

Death in the Eyes of Dawn

Ground

Ethica Odini

One Thousand Years of Rain

Heimdallr

Vetrarnótt

Allfǫðr Oðinn

Isa

Encore:

Slaget i skogen bortenfor

2
Matéria enviada por Lucas Amorim

Similar articles