Odin’s Krieger Fest – Uma grande celebração em SP

O festival Odin’s Krieger Fest que ocorre vez por ano como sempre teve diversas atrações, mas uma em especial adorada pelos brasileiros, simplesmente uma das maiores bandas de Folk/Viking Metal mundial, os holandeses do Heidevolk pousaram pela primeira vez em terras brasileiras para fazer história.

O local escolhido para o festival foi a casa tropical Butantã localizada na zona oeste de São Paulo, que por volta das 14:00 hrs  já estava liberada para os fãs entrarem.

O festival contou com muitos itens medievais a serem vendidos, batalhas, além das grandes bandas nacionais que escreveram seu nome no festival fazendo barulho para a galera, Confraria da Costa, Taberna Folk e Terra Celta foram responsáveis por incendiar o local antes da atração principal subir ao palco.

odins-sp

 

Pois bem, era por volta de 19 hrs e pouco ( inclusive quero ressaltar a ótima organização do evento e horário das bandas ) e já podíamos escutar o som das flautas de “Dagereaad” sendo a introdução para que os músicos do Heidevolk subissem ao palco.

Pouco a pouco os integrantes subiam ao palco e a galera já se mostrava muito agitada.  A banda iniciou com “Winter Woede” seguindo com “Ostara” logo de cara mostrando o verdadeiro poder do Metal holandês para a galera que pulava sem parar.

A banda continuou com “De Toekomst Lonkt” e “Einde der Zege” e o mais legal de tudo é que a galera cantava as músicas tão bem que até parecia o próprio idioma nativo. Uma coisa que faço destaque logo de cara é a sincronização dos vocais de Lars Andreas e Jacco De Wijs , que dividiam as vozes perfeitamente em cada música parecendo literalmente canções de batalha.

Os caras seguiram com “Urth”, “Drankgelad” e “Saksenland” e “Dondergod” que foram um dos pontos mais altos do show, afinal eram músicas que tinham grandes particularidades como o próprio regrão de “Dondergod” onde a galera gritava “Donar” !!! (Evocação ao Deus do trovão “Thor” em antigos dialetos germânicos).

odins

 

Mesmo com um dia inteiro de bandas a galera não parecia nem um pouco cansada, pelo contrário, vibraram com os temas épicos quando a banda seguiu com “Als de Dood Weer Naar nos Lacht” e a clássicas“ Geldersch Volkslied” e “Het Bier Zal Weer Vloeien”.

Mesmo sendo a primeira vez dos caras no Brasil, deu pra ver de cara que se sentiram bem a vontade, trocando algumas palavras com a galera e arrebentando no som, os caras seguiram com “Walhalla Watch”, “Opstand der Bataven” e “Nehalennia” que foram outros pontos altos do show, porém já dava pra ouvir praticamente a casa toda gritando “Arrú ! Arrú ! Arrú!”

Era a hora da música mais esperada da noite, “Vulgaris Magistralis” ! Quando Lars Andreas pega o microfone e solta um grito bem longo para o início da música a casa vai abaixo quando os riffs cavalgados começam a ser tocados e a galera gritando sem parar “Arrú” na música inteira e no tempo certo, encerrando o show da melhor maneira possível. Uma apresentação memorável de cada banda que se apresentou no local especialmente do Heidevolk, que pela primeira vez em terras brasileiras mostrou o verdadeiro peso Viking para fazer história.

2
Matéria enviada por Lucas Amorim

Similar articles