Muse – A Supremacia em São Paulo

Por – Yuri Siqueira Konopkinas

Fotos – Marcelo Rossi/89 FM e Uol

O Muse um dos maiores nomes do Rock Mundial na atualidade fez a sua tão aguardada apresentação em São Paulo, para um enorme público que cantou e pulou ao som dos grandes sucesso da banda comprovando o porque os caras São considerados como um dos trios mais criativos do Rock contemporâneo.

Em torno das 21h20min do dia 24/10/2015, para a felicidade dos presentes, as luzes do Estádio “Alianz Parque” em São Paulo se apagam pra entrada ao palco dos ingleses do Muse. Depois do aquecimento feito pela banda “Maglore”, agora era a hora de eles subirem ao palco e acalmarem os ouvidos da plateia que estava ali aguardando ansiosa por sua chegada.

Apesar de não contar com um daqueles palcos monumentais que costumamos ver nos vídeos que se passam em turnês na Europa, ou até mesmo o que foi visto no Rock’in’Rio em 2013, talvez por uma questão de custo/logística ou ate mesmo pelo tamanho do estádio, já dava pra ver pelo aparato audiovisual que o que nos esperava não era pouca coisa.

 

muse 2
Após a introdução de “Drill Sergeant” no telão e aquele sargento “cuspindo” ameaças na cara de todos, é com a ótima “Psycho”, música do ultimo disco “Drones” que rege essa turnê, que a banda inicia sua apresentação, com um riff de guitarra marcante e pesado, bem ao estilo que marcou a banda, ela vem como um tapa na cara de quem estava assistindo a apresentação.

Na sequencia vem “Reapers” do mesmo disco, ótima musica que mantém o publico aquecido. E pra loucura de todos a próxima da lista é “Plug In Baby”, nesse momento o publico vai à loucura e pode se ouvir seu refrão ecoando no estádio. Definitivamente o Muse sabe como abrir um show!

“The Handler”, também do seu ultimo disco vem na sequência.  E como apoio pra “Dead Inside” a porrada “The 2nd Law: Unsustainable” faz as honras ao introduzi-la. Esbanjando carisma e performance de palco a banda não para por aí, segue com “Resistance” e mantém o publico de olhos e ouvidos voltados ao palco com as não menos importantes “Muscle Museum” e “Citzen Erased”.

Muse

O que é conhecido como “Munich Jam” chama a próxima, a belíssima “Madness”, que faz o publico cantar junto com Matthew Bellamy seu refrão dramático e ao mesmo tempo forte, pode-se dizer que foi um dos pontos altos da noite.  Assim se encerra o que se pode chamar de “meio do show”, até por que o que vem em seguida não deixa o público descansar nem por um segundo.

E pra levar o público à loucura, é com “Supermassive Black Hole” e “Time Is Running out” que a banda da continuidade em sua apresentação, músicas que levantam o estádio inteiro e fazem todos cantar juntos, pode- se dizer que a banda tinha total domínio sobre o público nesse momento.  O hit “Starlight” chega pra fazer sua parte, pode se ver entre gritos e confraternizações os abraços e obviamente a multidão de quase 30 mil pessoas cantando juntas essa que é sem dúvida uma das músicas mais importantes da carreira do Muse

E a banda faz sua falsa despedida com “Uprising” e sua chuva de Balões gigantes que ficam pulando de mão em mão pelo estádio enquanto a banda finaliza sua apresentação e deixa aquele gostinho de ”quero mais”.

 

muse

Os caras voltam para o “Bis” com “Mercy”, que traz a famosa chuva de confete, levando o público ao delírio e já preparando todos para uma das músicas mais esperadas da noite, praticamente como uma paulada na cara, “Knights of Cydonia” chega pra mostrar que o Muse não brinca em serviço, o estádio inteiro cantou e pulou junto com Matthew Bellamy, Christopher Wolstenholme e Dominic Howard essa que podemos até considerar um dos hinos que a banda tem a apresentar.  E assim, depois de cerca de 1h e 30m de apresentação, a banda fecha com chave de ouro e se despede do público em São Paulo.

 

Set List

[Intro Drill Sergeant]

Psyco

Reapers

Plug In Baby

The Handler

The 2nd Law: Unsustainable

Dead Inside

Resistance

Muscle Museum

Citizen Erased

Munich Jam

Madness

Supermassive Black Hole

Time Is Running Out

Starlight

Uprising

Bis

Mercy

Knights of Cydonia

Tagged with: ,
2
Matéria enviada por Lucas Amorim

Similar articles