Machine Head – Live São Paulo – 07/06/2015

Texto Lucas Amorim

Fotos Aline Narducci

 

O Machine Head não poupou esforços em cima do palco para conquistar o público na noite do dia 07/06/2015, na Cidade de São Paulo, com apenas uma presentação no Brasil, o grupo veio com toda a energia, e apesar dos atrasos e filas, o resultado final desse espetáculo, foi um  sucesso, bem diferente daquela polêmica apresentação de 2011.

Quando as luzes se apagam, a gritaria é imensa, a casa estava lotada e os caras iniciam o show com “Imperium”, do álbum “Through the Ashes of Empires”, já emendadada por “Beautiful Mourning”, do “The Blackening”. O som estava desde o início extremamente alto, em toda a casa de show, há quem reclame, eu particularmente adoro, pois Metal é isso mesmo, barulho na cabeça.

 

Machine 2

A banda se mostrou o tempo inteiro muito a vontade, interagiu muito, e com essa tática, foi muito bem recepcionada pela plateia que cantou e pulou da primeira até a última faixa. Rob Flynn, por mais de uma vez chegou a dizer que esperava há muito tempo retornar ao Brasil e foi logo respondido com muitos gritos e aplausos de um Via Marquês que já estava dominado pelo carisma do Frontman.

A banda, tocou com alma, era visiível a energia que os caras estavam no palco, dá para perceber quando um artista está gostando do show, e nesse todos sabiam que a banda estava muito empenhada em fazer seu máximo. A banda também agradeceu muito os fãs presentes, amantes da música ao vivo, e observou que os fãs gastaram seu tempo em um fim de domingo para  vê-los, o cara ainda fez um discurso breve sobre a música artificial, os DJs recebendo em troca, mais aplausos.

 

Machine 3

Voltando para a apresentação o show foi uma porrada, e sem demagogia, não possuiu nenhum momento que o desabonasse cançõs espetaculares, como “Darkness Within”, do “Unto The Locust” de 2011, que foi aberta no violão e com o apoio da plateia no final. E até mesmo um inusitado cover de “Hallowed Be Thy Name”, do Iron Maiden, que a banda tocou com bastante peso e agressividade e que também  agradou muito os fã, além é claro de mostrar um mix de Iron Maiden e Machine Head, eu particularmente achei sensacional.

No fim dessa grandiosa apresentação, tocam “Aesthetics of Hate”, do “The Blackening”. E no ultimo suspiro, e energia de todos “Halo”, fecha a conta, deixando todo mundo pregado, mas feliz. Mais que um show, um rolo compressor, para valer cada centavo suado investido na apresentação, e como é bom sair sorrindo de um show, com aquela sensação de que foi perfeito, e esse eu tenho certeza que todo mundo saiu com essa sensação, pois com toda certeza, foi um dos melhores do ano.

 

Machine 1

 

 

Setlist:
1. Imperium
2. Beautiful Mourning
3. Now We Die
4. Bite the Bullet
5. Locust
6. From This Day
7. Ten Ton Hammer
8. Clenching the Fists of Dissent
9. Darkness Within
10. Bulldozer
11. Killers & Kings
12. Davidian
13. Descend the Shades of Night
14. Now I Lay Thee Down
15. Hallowed Be Thy Name (cover do Iron Maiden)
16. Aesthetics of Hate
17. Game Over
18. Old
19. Halo

Tagged with: ,
2
Matéria enviada por Lucas Amorim

Similar articles