Extreme Hate Festival – São Paulo – 07/12/2014

O Extreme Hate Festival 2014, ocorreu no último domingo 07/12/2014, na Cidade de São Paulo, no Bairro de Pinheiros, e com um cast matador a expectatuva dos fãs era grande para acompanhar as apresentações, e o resumo desta pancadaria extrema você confere nas próximas linhas.

01- Chaos Sypnosis

Com um certo atraso os portões se abrem e dentro do Tropical Club, os fãs já se aglomeravam na grade para acompanharem a primeira banda da noite, o Cast do ano de 2014, do Festival, foi composto pelo Watain (Suécia), Suffocation (EUA), Belphegor (Áustria), Cryptosy (Canadá), além da Nacional Chaos Sypnosis, que fez as honras de abertura da casa com um espetáculo curto porém competente.

A primeira banda internacional da noite, era uma estreante os canadenses do Cryptosy, e seu som extremo com os vocais agonizantes de Matt McGachy que fazem toda a diferença no som dos caras, pois é muito mas muito potente e faz um grande diferencial na banda.

03 - Cryptopsy

 

O som começou meio ruim, mas aos poucos foi se arrumando e podemos ver a qualidade técnica do Cryptosy, que tem paradas bruscas, peso, e muita, mas muita técnica, adorei a apresentação dos caras e espero ve-los em breve aqui para um show completão.

Na sequência uma das minhas bandas prediletas, o grande Suffocation e seu Brutal Detah Metal, que abalou as estruturas da casa, meus amigos posso ficar horas e mais horas vendo os caras do Suffocation tocarem e não me cansarei, é muito brutal, mas com uma tecnica surpreendente.

14 - Suffocation

 

Destaque para o ótimo Terrance Hobbs, do qual não paro de elogiar, pois o cara é uma máquina de tocar Detah Metal, dá gosto de ver uma banda como o Suffocation no palco, e o teste para isso é bem simples, olhe para a platéia e veja quem estava parado, quase ninguém.

Uma pena que o show foi muito curto, mas todos sabiamos que pelo tamanho do Cast, as apresentações seriam mais curtas mesmo, mas de toda forma o Suffocation, novamente fez uma apresentação digna de palmas e mais palmas, com canções como Catatonia As Grace Descends Effigy of the Forgotten, só obra prima nessa ótima apresentação.

 

Terence

Passado alguns minutos as cortinas se abrem para uma das apresentações mais aguardadas da noite, os Austriacos do Belphegor, que com um palco cheio de objetos personalizados, colocaram a galera em delírio, o Belphegor, é uma banda que com certeza tem muita bagagem e história na cena do Metal Extremo, pois influenciou e influencia, muitas bandas por aí.

Com set pesado e arrastado Helmuth com suas caras e bocas e  Cia, não deram trégua para a platéia que gritava ao máximo o nome da banda lá de  baixo, que responderam a altura nos  pouco mais de 50 minutos que tiveram, despejando composições ultra pesadas.

 

15 - Belphegor

Foram nove canções, porém nove petardos que não deixaram ninguém sossegado In Blood – Devour This Sanctity, Impaled Upon the Tongue of Sathan, além da perfeita Lucifer Incestus, foram algumas das canções que fizeram a noite ficar ainda mais pesada, terminando a apresentação com Bondage Goat Zombie, um show e uma prova de porque o Belphegor é tão bem conceituado na cena extrema mundial.

16 - Belphegor

 

Após mais alguns ajustes no palco, era a hora da atração principal da noite, os suecos do Watain e seu poderoso Black Metal, com um palco decorado com cruzes invertidas que eram acesas por velas, a banda já começa o massacre da noite com Night Vision, seguida por De Profundis, um show de peso.

Gosto muito do Watain, os caras fazem uma performace teatral, com muito peso e muita responsabilidade, músicas como Malfeitor e Storm of the Antichrist, viram verdadeitros petardos deixando os fãs insandecidos, com o peso e a velocidade que consegue impor ao vivo.

32 - Watain

 

O vocalista Erik Danielsson, é um show a parte, e dispensa apresentações, o cara anda para todo lado, é um showman, sua voz é potente e  ele carrega o público na mão durante toda a apresentação, já que cativa a atenção de todos, além de possuir um figurino matador.

Foram 12 canções em um show dinãmico que provou o porque o Watain, tem tantos seguidores aqui no Brasil, um show teatral, pesado rápido e muito bom, que coroou o fim de mais uma edição do evento Extreme Hate Festival, que mesmo apesar de algun problemas, pode se orgulhar, pois as bandas tocaram e fizeram bem feito, e por aqui ficamos na torcida de uma próxima edição.

24- Watain

2
Matéria enviada por Lucas Amorim

Similar articles