Exciter e Nuclear Assault – Live São Paulo – 22/08/2015

Fotos – Ricardo Ferreira – Roadie Crew

Dois grandes nomes do metal se reuniram no palco do Clash Club no ultimo dia 22/08/2015, primeiro o Nuclear Assault, lenda do Thrash Metal mundial, formada em meados dos anos 80, onde se firmaram como referencia  deste movimento até os dias de hoje, e John Connelly (voz e guitarra), Dan Lilker (baixo), Glenn Evans (bateria) e Eric Burke (guitarra), fizeram a sua The Final Tour  divulgando as faixas do EP Pounder (2015) e dando adeus aos palcos.

A outra banda, trava-se  dos queridos  canadenses do Exciter, que retornaram ao Brasil mais uma vez com a sua formação original, Dan Beehler (bateria e voz), Allan James Johnson (baixo) e John Ricci (guitarra),  para tocar clássicos dos famosos discos Heavy Metal Maniac e Violence and Force.

Muita especulação, agitação e movimentação na porta da Clash Club na Barra Funda, local da apresentação e sem muita enrolação o Exciter já entra no palco mandando bala e toda a sua energia, é redundante dizer o tanto que discos como Heavy Metal Maniac e Violence and Force, são cruciais para história do Speed Metal, Thrash Metal, enfim ao mundo da música pesada, o John Ricci toca rápido e o baterista Dan Beehler canta muito e inovou, ninguém pode duvidar.

 

01Exciter_6

Porém tantos anos depois, os caras estão com tudo, uma energia sensacional, iniciando a festa  com Stand Up and Figh, Victims of Sacrifice e Iron Dogs, isso foi um nocaute, uma porrada atras da outra sem dó e sem trégua, que deixou a pista em chamas, porém sem delongas o carismático Dan Beehler, depois de umas palavras de agradecimento já anuncia de cara Heavy Metal Maniac, pra delírio de todos os presentes, isso sim é chuva de clássicos, muitos ali se perguntavam e agora vão tocar o que já mandaram tudo, ledo engano.

Sem piscar os caras já arrumaram outra dobradinha de Delivering to the Master Violence & Force, e aí meu amigo, segura o cabelo lá em baixo, era agitação do começo ao fim, sorrisos, cervejas e pulos para o alto, em menos de um ano o Exciter deixou esse povo feliz por duas vezes com canções que fizeram a adolescência de muitos ali, e não acabou não, ainda teve tempo para Pounding Metal, Beyond the Gates of Doom Rising of the Dead e suas guitarras insanas, uma apresentação irretocável que fez com que a turma toda ovacionasse o Exciter aqueles senhores que não envelheceram nada e continuam colocando fogo no palco.

 

01Nuclear-Assault_2
Na sequencia era a hora do adeus, pois uma das bandas de Thrash Metal mais queridas de todos os tempos, iria pendurar os coturnos  e as guitarras.  Os próprios caras passaram o som e já meteram de início 
Rise From the Ashes, cantada por todo mundo, que alias não sabia se assistia ou se jogava no Mosh, Brainwashed Critical Mass ascenderam a galera ainda mais, porém, foi em Game Over e Butt Fuck que o circo pegou fogo de verdade, amigo saber que você verá aquilo ao vivo pela ultima vez, me deu dor no coração esses sons são clássicos, esses discos clássicos, essa banda é um clássico, e então , como encarar o fim de um clássico ? Agitando ali até não poder mais.

John Connelly, pode ser pequeno, mas tem um fôlego gigante, o cara não fez feio em nenhum momento, as partes rápidas, as partes agudas, simplesmente arrasou, e comprovou que a banda vai parar porque quer, e não por causa de integrantes cansados ou doentes, quem viu o fôlego do cara cantando Sin, entendera o que estou falando, sem falar no punch que a banda possui, foi muito gratificante ver esses sons que marcaram toda uma geração.

Dan Lilker agradeceu muito a todo mundo, o cara é uma figura, uma lenda do underground e não precisa mais provar nada para ninguém com toda certeza, ele fica la na dele tocando e fazendo aqueles seus vocais de apóio toscos e urrados, mas que dão um charme vamos dizer para a canção, charme nada, da um ar de tosco mesmo…rsrsrs.


Mas o Trash metal é isso, tosco e 
Betrayal e a sua introdução provam que eu estou certo, esse som foi seguido de uma das minhas canções prediletas da noite Analogue Man in a Digital World, um som reto sem frescura e com um refrão digno de se esgoelar, e depois pular que nem doido no meio da pancadaria, não da pra falar mal de uma apresentação assim, porém tudo que é bom dura pouco .

01Nuclear-Assault_4E com uma trinca sensacional os caras colocam o publico na lona Lesbians, isso mesmo aquela curtinha, eles tocaram tudo mesmo, Trail of Tears, que passava na MTV lembra, do clipe do cemitério  ?? e claro a obra prima dos caras na minha opinião Technology, do álbum  Survive, não da pra reclamar não é ? aquela introdução já vale o show com toda certeza, mas ainda tinha um ultimo suspiro o Bis, e ele veio com Justice, para celebrar um dos melhores álbuns de Thrash Metal de todos os tempos.

Uma despedida digna, com clássicos em cima de clássicos. O ano passado foi o Brutal, esse o Nuclear, as bandas estão indo, mas  as lembranças ficam e isso é o que importa, ela foi guardara na memória, e aquela noite com certeza ficara na memória de todos os apreciadores de Dan e Cia.

Um registro final de uma banda que se foi com dignidade e deixará muito mais saudades do que imaginamos, vida longa ao Nuclear onde estiver, porque a banda pode ter acabado mas seus registros e sua memória ficarão intactas no roll das melhores bandas que o mundo já possuiu ADEUS !!!

2
Matéria enviada por Lucas Amorim

Similar articles