Evil Conduct – Mosh, Stages e Emoções em São Paulo

Texto – Lucas Amorim

 

 

A última noite de 14 de novembro será uma data que não vai ser esquecida tão cedo para aqueles que compareceram na Clash Club em São Paulo, pois ocorreu um encontro muito legal, daqueles que eu nunca pensaria que assistiria nos meus tempos de adolescência, quando ia à shows do Garotos Podres, Ratos, do Calibre 12, do Menstruação Anarquica, com medo de brigas ou na eminência delas. Mas tudo mudou e a coisa aconteceu, o Evil Conduct veio tocar com o Blind Pigs e o encontro serviu para provar que hoje mudamos e  possuímos  eventos que comprovam a seriedade do público brasileiro.

Jovens, velhos, brasileiros, chilenos, pessoas de suspensórios, os famosos looks de cabeça raspada, se misturavam pacificamente na casa que estava não muito lotada mas com pessoas suficientes para prestigiar a bela noite, e o motivo de tantas personalidades distintas  ?….Além da música, é o encontro que citei acima, os mestres do oi/street punk mundial, Evil Conduct com abertura dos caras do Blind Pigs, além do Faca Preta e a noite foi linda e eu te conto nas linhas abaixo.

 

Faca Preta

Os caras do Faca Preta abriram o show para um público modesto, porém muito entusiasmado, no palco cinco integrantes, muito felizes de estar ali fazendo um ótimo som. A formação da banda conta com Anderson Boscari (guitarra), Dudu Elado (guitarra), Fabiano Santos (vocal), Shamil Carlos (baixo) e Thiago Brandão (bateria), os caras já tocam na cena paulista tem um tempinho e muita gente ja conhecia o som dos caras eu os vi pela primeira vez ali e gostei muito.

Musicas como “Coração Libertário” e “São Paulo” agitaram os presentes que chegaram cedo para conferir a banda, achei muito legal o som dos caras, me lembrou muito as letras do 365, letras consistentes e com conteúdo, não é só dizer que odeia ou que está tudo errado, se você não conhece os caras do Faca Preta, fique ligado no som deles clicando aqui, e de uma força para mais uma grande banda nacional.

 

Blind Pigs

A casa foi aos poucos se povoando, se  enchendo, e  quando os caras do Blind Pigs subiram no palco, a energia e a euforia já estavam a flor da pele, um simpático Henrique, vocalista da banda, saudava a todos com muita energia e uma simpatia ímpar, sempre de bom humor o cara sabe agitar um show.

O line up estava um pouco alterado com o Gordo (guitarra, vocal) o  Mauro (guitarra), que substituiu o glorioso Fabiano, tinha o Galindo (baixo) e o baterista Kleber, ex-integrante da banda responsável por gravar os discos lá de trás como ‘Blind Pigs’, ‘Suor, Cerveja e Sangue’ e ‘Porcos Cegos EP’,uma vez que o Arnaldo, havia , quebrado a mão, mas isso não tirou em nada o mérito da apresentação.

O set list foi muito legal músicas como “Antro de Trastes”,  “O Idiota”,  “Para Incomodar”, além de musicas do EP ‘Linha de Frente’ como  “Sempre Avançar” dedicada ao ex-guitarrista Fabiano, que infelizmente veio a falecer este ano. Teve tempo ate de uma participação de Joost do Evil Conduct, para apimentar ainda mais a apresentação do Blind Pigs, que provaram porque mereciam eestar ali abrindo o show, e porque merecem ser respeitados como uma das maiores bandas de Punk Rock que o Brasil tem.

O Show de Blind Pigs tem energia, ali você nao é apenas o espectador, voce é parte do show, voce é o cantor se quiser, suba no palco e pegue o microfone, voce é o figurante, suba no palco e pule como louco, voce é o amigo pessoal do Henrique, pois suba no palco e ganhe um abraço, e isso cativa muito a galera e por isso que os caras sempre irão pra frente.

 

Evil Conduct

Após tanta energia do Blind Pigs era a hora dos anfitriões da noite, os Holandeses  Evil Conduct uma das bandas mais tradicionais do Street Punk Mundial, os caras subiram no palco e quando o vocalista e guitarrista Han dá o primeiro acorde na guitarra a pista fica pequena e todo mundo abre o mosh para agitar os hinos de décadas e mais décadas de carreira do Evil Conduct.

 

A banda veio ao Brasil para divulgação do seu mais recente álbum ‘Today’s Rebellion’, mas teve som de todas as fases da carreira da banda, com destaque para “Skinhead Girl”, cantada e agitada por todos os presentes, a ótima “Home Sweet Home”, e seu maravilhosos refrão, que fez todo mundo na Clash cantar bem alto,“Something About You” uma das minhas prediletas da noite, essa música é demais é uma injeção de adrenalina e na pista o povo enlouqueceu, subia no palco, pulavam, gritavam, todos expressavam a sua emoção, de ver aquelas canções que embalaram muitos dias da vida de cada um que estavam ali.

 

 

Um grande momento da apresentação foi na canção That Old Tattoo, não teve quem ficasse parado, todos agitando pulando, jogando a mao pra cima, Stage Dive, teve de tudo, mas valia a pena a comemoração pois a apresentação estava maravilhosa, a banda fala pouco, porém toca muito, e isso compensa tudo, o baixista Joost era o mais empolgado da turma, o cara estava muito animado, fazia caras e bocas e ainda ensaiou um coro de “Oi Oi Oi” com a galera, e foi correspondido com muito fervor.

E ainda tinha muito clássico “One Day Will Come” e “Skinhead Till I Die”, vieram para animar ainda mais um público que em todo momento só pensou na música e na diversão, o que se via eram sorrisos e abraços na pista, nada de brigas, desafetos, ou qualquer tipo de desordem, o que imperou foi a boa música do Evil Conduct, que comprovou que o público paulista é sensacional.

Mais que uma apresentação, uma celebração, e uma honra poder ver uma banda que influenciou uma geração, a Hearts Bleed Blue está mais que de parabéns pela iniciativa e produção  do evento com essas grandes bandas, e que fique a lição de que estes eventos tem o propósito da interação, da diversão, da magia, da música, e não de violência, pois quem sai de casa quer curtir e não brigar é isso que a produtora HBB acredita e nós do Heavy World Também. SENSACIONAL !!!!

 

 

2
Matéria enviada por Lucas Amorim

Similar articles