Cannibal Corpse e Testament – A Turnê Mais Pesada do Ano

Texto: Lucas Amorim

Fotos: Aline Narducci

Um encontro de peso ocorreu ocorreu no ultimo sábado dia 21/11/2015, uma das turnês mais esperadas e pesadas do ano ocorreu no Carioca Club, Zona Sul de São Paulo, as lendas Cannibal Corpse e Testament dividiram o palco deixando os fãs extasiados e para deixar a noite ainda melhor, a banda Genocidio, velha conhecida do público brasileiro fez as honras de abertura e o Heavy World estava lá e te conta como foi essa magnífica apresentação.

Casa cheia, pessoas inquietas, sorrisos e ansiedade, esse era o resumo do que se passava no Carioca antes das apresentações ocorrerem, o Genocídio já tocou para uma casa cheia e mandaram clássicos de sua carreira como Kill Brasil, Cloister, Uproar, The Grave, entre outras canções que animaram a galera e as aqueceram para o os próximos e aguardados shows da noite, fecharam a apresentação com  o clássico The Clan, e saíram ovacionados pela platéia, uma boa apresentação, muito energética que já ditaria o clima daquela noite.

Cannibal 1

 

Na sequencia após alguns ajustes, era a vez de uma das bandas mais respeitadas do Metal Extremo Mundial, o Cannibal Corpse, que é com toda certeza uma das bandas mais fieis ao seu estilo desde a sua formação, os caras não mudaram o som, é sempre aquilo, pesado, lindo, gutural, extremo e muito bom, e sempre com uma performance, irretocável, você não vê uma banda e sim uma máquina de peso e agressividade no palco.

Só pra começar os caras mandam Scourge of Iron e quando George “Corpsegrinder” Fisher começa agitar daquele jeitão peculiar dele e mandar a voz, todo mundo na pista entra em transe e começa a agitar junto, e isso só se reforça, quando a banda  já emenda a ótima Demented Aggression, e aquela pancadaria envolve todo mundo na pista, viceral esse é o resumo dessa canção. E a banda ?….  Essa dai  é um relógio macabro que funciona certinho fazendo um barulho devastador, cada um no seu canto, sem se mexer muito, mas fazendo um barulho infernal.

 

Cannibal 2

Não tem conversa no meio do show, não tem obrigado e nem nada, é música atras de música emendadas e sem nenhuma firula, músicas como a ótima Evisceration Plague, são anunciadas naquele vozeirão do Geroge e a porrada come solta lá em baixo, e na sequência,  para tudo !! Uma das antigas pro pessoal se matar na pista Stripped, Raped and Strangled, maravilha, obra de arte da maleficência, não da pra não lesionar o pescoço nessa canção, mas como eu disse é um massacre sonoro, e sem dó os caras ja emendam Disposal of the Body, apelação né ? Isso não é set list, é coletânea de clássicos, quero ver quem reclama disso.

Também meus amigos e amigas o que falar de uma banda que tem Pat O’Brian nas cordas, o cara é demais, eita mão pesada desse guitarrista, ele é um gênio do Death Metal, sem falar no seu Feeling, solos etc;  Escute Sentenced to Burn ou a perfeita  Kill or Become e veja peso da guitarra desse ícone da música pesada, que tem o luxo de dividir o posto com o senhor Rob Barrett outro gênio da destruição nas cordas, essa dupla aí não te como dar errado, o Rob abaixa a cabeça e manda riffs sem dó, é impressionate o grau de sintonia que ele conseguiu atingir com o Pat, as vezes os caras aprecem um só.

TESTAMENT 2

E assim rápido como as músicas,  já eram o fim da apresentação com a vinda de  Hammer Smashed Face para delírio da galera emendada com a saideira da noite, além de uma das mais esperadas pelos enlouquecidos fãs,  Devoured by Vermin, mais que um show, uma sessão de descarrego e pancadaria que deixou todo mundo em êxtase, no Carioca, mas era hora de tomar um fôlego porque ainda tinha muito mais, pois era a vez dos gigantes do Testament.

Após alguns ajustes era vez do Testament entrar no palco e sem delongas os caras já abriram a apresentação com Over the Wall, deixando  a galera maluca na pista, o Show já começou com todo mundo no palco acenando para a galera e a porrada comendo, Chuck parecia muito animado e com seu já conhecido pedestal, animava demais a galera com aquelas guitarras imaginárias que ele faz, e sem demora já emenda a poderosa Rise Up do ótimo Dark Roots of Earth.

 

TESTAMENT 3

O Testament não tem uma banda e sim uma constelação de músicos, olhe para qualquer lado e você ver;a um ícone, como Alex Skolnick, na minha opinião uma dos melhores guitarristas do Thrash MetalSteve DiGiorgio, ou Gene Hoglan, isso que é um time de primeira, e nós ali na pista só temos que apreciar tamanhos talentos debulhando sons como The Preacher, Henchmen ou Dog Faced Gods, do aclamado Low.

Chuck  Billy falou muito com a galera, era visível a sua animação e com certeza ele percebeu a animação do público na execução canções como  Into the Pit, que arrastou uma roda imensa na pista do Carioca, aliás o público estava animado mesmo, abriram vários mosh pits, pulavam, se abraçavam e fazia uma festa muito bacana e isso com toda certeza passa para a banda que fica ainda mais animada.

 

TESTAMENT 1

 

Eric Peterson estava muito entusiasmado também , e seus solos eram devastadores, era visível a sua animação no palco, em Into the Pit, por exemplo, o cara quase desmontou a guitarra de tanto feeling que colocou na canção, aliás nessa hora a pista virou um caos, uma vez que na sequência a banda já emenda nada mais nada menos que Practice What You Preach e uma das minhas favoritas dos caras The New Order, que refrão tem esse som, é simplismente insano, mas não parou por aí não, sem tempo de respirar todo mundo foi a loucura no comecinho de D.N.R. (Do Not Resuscitate), isso é Thrash Metal, isso é som veloz e de qualidade, e isso amigo é um set list de respeito.

Mas infelizmente tudo que é bom acaba logo, mas para fechar os caras ia fazem com estilo e  para minha alegria mais uma do The Gathering veio, um dos meus álbuns favoritos, 3 Days in Darkness, seguida de Disciples of the Watch e aquela sua introdução embemática com muita guitarra e muito peso. Para finalizar de vez  à apresentação vem More Than Meets the Eye deixando todo mundo mais que satisfeito. O Testament fez bonito, e fechou a noite com muito peso e classe, e o sorriso em cada fã indo embora é o que constata que a noite foi incrível e que o pessoal quer mais noites desse jeito com toda certeza.

 

Confira abaixo todas as fotos desse encontro histórico 

Testament - Live Carioca Club - 21-11-20152

2
Matéria enviada por Lucas Amorim

Similar articles