Brutal Truth, Exciter e RDP – Live São Paulo – 03/10/2014

O ultimo dia 03/10/2014, ficará na história do país por marcar a vinda de dois ícones da música pesada mundial, estamos falando de bandas do calibre de Exciter com sua formação original e o Brutal Truth, banda seminal do Grindcore mundial, e para abrilhantar ainda mais a noite, o Ratos de Porão fez uma abertura de luxo empolgando os fãs.

O local da apresentação foi a já conhecida Clash Club, na região Oeste de São Paulo e por volta das 19:30 o Ratos de Porão já ingressa ao palco destrinchando seu peso e seu ódio. Olha amigos já assisti dezenas de shows do Ratos e posso afirmar com convicção que nunca vi um ruim, é muito peso, muita violência, muita velocidade e performace de uma banda que com toda a certeza é uma das melhores do mundo em seu estilo.

Canções como, Amazona Nunca Mais, Beber Até Morrer, Crucificados pelo Sistema, Igreja Universal e Diet Paranóia, mesclam com as novas composições do novo álbum Século Sinistro, que não perdeu o peso e qualidade que faz o Ratos uma banda cultuada mundialmente, nota 10 a exibição dos caras.

IMG_3397

Na sequência o povo aglomera a pista para a apresentação de três lendas, Dan Beehler, John Ricci e Allan James Johnson, eram esperados aos gritos de Exciter, que já inicaram a noite com dois clássicos que fez todo mundo ficar sem pescoco Stand Up and Fight e Heavy Metal Maniac, o som estava muito bom e a pista lotada de fãs que pararam no tempo para apreciar as canções tão bem executadas pelo vocalista e baterista Dan Beehler, uma lenda do metal mundial.

A empolgação da galera vinha em forma de muita agitação, era possível ver a felicidade nos rostos dos fãs que custavam acreditar que aquela formação do Exciter estava realmente ali tocando pertardos como I Am the Beast, e um dos sons que mais agitaram a noite Violence & Force, esse som é um hino dos anos 80, e seu refrão foi cantarolado por todos os  presentes.

IMG_3396

 

No término dessa apresentação histórica, os caras mandam Rising of the Dead, Long Live the Loud e Scream in the Night, não da pra ficar parado enquanto essas canções rolam, o público provou isso ascenando gritando, pulando, balançando a cabeça, o que importava era não ficar parado e tenho certeza que a impressão que passamos ao Exciter é que o público brasileiro é muito, mas muito bom como todos os artista comentam.

E finalmente, no encerramento desta noite mágica, teriamos uma apresentação mais que especial, uma apresentação de despedida de uma das bandas mais cultuadas do underground mundial, o Brutal Truth e seu Grindcore consagrado por décadas de carreira bem sucedida.

IMG_3392

 

Amigos foram 25 canções que ecoaram brutalmente nos ouvidos dos maravilhados fãs que hipnotizados as vezes não esboçavam reação a tamanha brutalidade em forma sonora, é dificil resenhar uma coisa dessas, agressividade, peso, rapidez, técnica, ódio, tudo isso se forja dando vez ao excelente som que o Brutal consegue fazer no palco.

Logo de cara os caras já iniciaram a apresentação com Birth of Ignorance, Stench of Profit e Sugardaddy, não imaginava um começo tão brutal logo de primeira, não existe um ser humano que não pare olhe o Rich Hoak tocando e não tenha um apagão momentâneo olhando as caras e bocas que ele faz, ninguém toca igual ele, rápido, sem frescuras, desce o pau sem dó, é uma maravilha ter o provilégio de ver uma lenda como o Rich em cima de um palco.

 

IMG_3394

A presença marcante de Kevin Sharp, sempre sem sapatos em cima do palco, pulando e recitando aquelas letras de ódio também merece seu destaque, Kevin é um louco desvairado no palco, veja sons como Fuck Cancer ou Evolution Through Revolution junto as performaces de Kevin e entenda o que estou falando, quando digo que é um show a parte.

Um momento de deixar todo mundo sem pescoço foi na trinca de Godplayer, I See Red e Dementia, puxa amigos que trinca matadora foi essa, na pista os moshs se intensificaram, no palco, o peso parace que foi aumentado para a execução dessas 3 pérolas do Grind Mundial.

IMG_3395

 

No fim da apresentação Time, Ill Neglect , Choice of a New Generation, fecham com classe, muita classe, uma das melhores apresentações do ano com toda a certeza, ainda deu tempo para mais uma I Killed My Family, mas no fim o que ficou mesmo é o sentimento de saudade de uma banda que fará falta no cenário, vá em paz Brutal, vocês fizeram seu papel, e dentro do Grindcore e do Underground mundial, vocês sempre serão lembrados entre os melhores.

2
Matéria enviada por Lucas Amorim

Similar articles