Blind Guardian – Live São Paulo – 12/10/2015

O Blind Guardian simplesmente fez um dos melhores shows de 2015, no ultimo feriado do dia 12 de outubro na Cidade de São Paulo, para um grande e animado público que cantou, pulou e encantou a banda com tanta energia, mas isso foi recíproco pois a banda simplesmente se dedicou no palco e fez um set list devastador que passou por todos os momentos da carreira da banda.

Como já dito, casa cheia e muita empolgação, e quando as luzes se apagam a gritaria começa e sob muitos aplausos a banda ingressa ao palco com a ótima The Ninth Wave, e ali já vi o quanto o Hansi Kürsch está cantando, meu amigo o cara esta numa fase admirável, ele simplesmente foi perfeito em sua apresentação, e o melhor para quem esperava aquele Hansi parado e apático que todos estão acostumados no palco, se surpreenderam, pois o cara pulou, correu e interagiu muito bem.

Blind Guardian 1

Sem delongas já mandam Banish from Sanctuary e  Nightfall, correria na pista, mão na cabeça, mãos para o alto, gritaria , que isso meu ? É só a terceira música e já tinha gente rouca, mas era aquilo mesmo que vi, uma banda feliz de estar ali e que esta muito entrosada, cada parte soa perfeita ao vivo e isso reflete no som que automaticamente mexe na reação do público.

E por falar em público esse deu um show a parte, podemos classificar a apresentação como o show do público e o show da banda, o show do público foi em receptividade e interatividade, isso foi sem dúvida o ponto alto da apresentação que fez com que a mesma fosse tão espetacular, cada acorde era seguido por uma voz e cada letra era cantada como se fosse a última musica do espetáculo, os coros eram especiais porque o público cantou com emoção e isso transcende a apresentação deixando a mesma fantástica.

 

Blind Guardian 2

Seguindo com o set list Fly Tanelorn (Into the Void) e Prophecies deram um ótimo clima na apresentação e comprovaram o quanto o Hansi vai muito bem obrigado, o cara ta arrasando em cima do palco, agudos, graves não tem tempo ruim não é tudo muito bem cantado e com aquela qualidade Blind Guardian que só o fã entende, eu achava que estava bom mas aí os caras anunciam nada mais nada menos que The last Candle, e para tudo…..que paulada é essa musica né ? Melodia ?….tem também, ela é completa e deixou a apresentação muito, mais muito mais interessante do que já estava.

Depois de tanta paulada os caras resolveram dar um stop breve e tocaram duas pra galera tomar um ar a bela Prophecies  do recente Beyond the Red Mirror,  seguida de Lord of the Rings, que emocionou a galera, pois esse som tem uma melodia que pega todo mundo, não tem um quem fique com as maos paradas e aquela bateria que entra depois do “MORDORRR”….Dá uma emoção não é ?

 

Blind Guardian 3

 

Mas show bom meu amigo é uma atras da outra é nocaute atrás de nocaute e sem delongas eu ja estava agitando Time Stands Still junto com todo mundo, mais uma que me pegou de surpresa, música maravilhosa e que sempre será bem vinda em uma apresentação e já que era pra botar pra quebrar mesmo, I’m Alive seguida de Imaginations From The Other Side, cacete meu, que foi isso ? isso sim é uma coletânea ao vivo e não um show, passaram o carro, passaram uma Scania em cima da platéia, e depois disso foi a hora de dizer o primeiro tchau, eu disse o primeiro.

Os caras voltam ao palco com sangue nos olhos e Hansi anuncia Wheel of Time do álbum At the Edge of Time, peso, cadencia e muita agitação  por parte da galera e detalhe a voz do Homen ainda estava tinindo em todas as músicas Ok ? Na sequencia os caras encaixam mais uma do novo álbum a pesada Twilight of the Gods, e voltam no tempo precisamente para o álbum Follow The Blind e mandam Valhalla, para delírio daqueles que queriam uma das antigueiras, é sem Kai Hansen ?…… sim mas é boa assim mesmo, e o público junto faz a festa do mesmo jeito, no fim da canção a banda deixa o palco novamente sob muitos gritos de Majesty.

 

Blind 6

Mais uma vez os caras voltam e Hansi pergunta o que vocês querem ?? O publico sem exitar grita Majesty e os caras mandam e mandam muito bem, eita sonzeira, isso já é  Thrash Metal amigo, mas enfim, seja o que for é música boa, é musica para levantar o copo de cerveja lá pra cima e gritar com todas as forças, mas como eu disse esse foi um dos melhores shows do ano e te provo isso agora, pois os caras sem piscar emendam com nada mais nada menos que The Script for My Requiem, aí é apelação é não ter dó de ver o cidadão rouco pra trabalhar na terça feira  pós show não é verdade ?….. O que dizer dessa obra de arte ? Música perfeita que colocou fogo na pista do Tom Brasil.

Mas como tudo que é bom passa rápido 2 horas haviam se passado em um piscar de olhos e era hora do fim da apresentação, mas o Blind fez valer até o ultimo minuto desse espetáculo finalizando com The Bard’s Song (In The Forest), que deu um clima nostálgico e muito bom a todos os presentes na casa, seguida pela destruidora e com certeza minha música predileta da noite, da banda, e com certeza uma das músicas que mais ouvi na vida Mirror Mirror, esse som simplifica o termo peso, melodia e qualidade, terminam a apresentação com Barbara Ann, e com um saldo positivo de um dos melhores shows que compareci nos últimos anos, em quesito, qualidade, emoção, set list entre outras coisas.

 

Blind Guardian 4

Esse show sem dúvida nenhuma esta a par com aquela saudosa apresentação do Blind Guardian em 15 de agosto de 1998 no Aramaçan  na Cidade de Santo André, no qual eu lembro que saí  junto com centenas de pessoas  roucas e maravilhadas. Porque a comparação ?…. Porque nesse eu também saí do mesmo jeito, parabéns a Overload por ter trazido uma tour tão bacana ao nosso país e provar que ainda existem bandas capazes de fazer o circo pegar fogo.

 

Confira a galeria de fotos completa do show:

Blind Guardian - Live Tom Brasil - 12-10-2015

2
Matéria enviada por Lucas Amorim

Similar articles