Apocalyptica – Shadowmaker

 

Depois de quatro anos e meio sem lançarem nenhum álbum com música autoral, temos o extraordinário Shadowmaker!

Sei que a banda não estava parada esse tempo, eles participaram de uma mega produção “Wagner Reloaded – Live in Leipzig“, feito para celebrar os 200 anos de

Richard Wagner. Belíssimas apresentações foram feitas em toda Europa, com lances teatrais e um cenário fantástico. Confiram: https://www.youtube.com/watch?v=HabIuxaVunc

Mas para os fãs do Cello rock, Shadowmaker veio pra quebrar tudo!

Esse gênero foi criado pelo mestre Eicca Topinnen, juntamente com brilhantes mentes como a de Perttu Kivilaakso, Paavo Lötjönen e Mikko Sirén. E, neste álbum, contam com os vocais de Frank Pérez, que já cantou com Slash, e possui trabalhos solo. de Frank Pérez, que já cantou com Slash, e possui trabalhos solo. Frank Pérez não é considerado um membro oficial da banda, mas participou das composições e está em turnê com a banda.

Sem maiores delongas:

A primeira música “I.III.V – Seed of Chaos ” é instrumental, pra mim, música para abertura do show. Com um cello na distorção e outro limpo. Curta e forte! Já na segunda faixa temos “Cold Blood”, com clipe lançado antes do álbum. Música intensa, com um refém muito pegajoso, super original e muito bem harmonizado com o restante dos instrumentos. Pra mim lembra “I don´t care”, faixa do álbum Worlds Collide de 2007. Uma letra consistente, belo trabalho vocal de Perez.

Depois seguimos com a faixa título “Shadowmaker”, que começa com um pizzicatto no cello, tornando a música calma no inicio, com uma voz mais limpa, e logo temos uma progressão mais pesada, com o vocal mais agressivo, a música alterna bem esses movimentos. Música cumprida, mas vale cada segundo! Muito melódica e com uma pegada bem ao estilo do apo!

E vem “Slow Burn”, um pouco diferente do que já ouvi de apo. Triste, mas consistente. Música mais calma, com a voz trabalhada no limpo, e com um refrão bonito. E vem “Hole In My Soul”, uma linda balada, emocionante e com uma letra bem elaborada, os cellos estão calmos e a bateria acompanha essa calmaria. Pizzicatos, melodia, base e baixo… Perfeita. Seguimos com “House of Chains” que já começa com uma pegada mais pesada, um vocal rasgado, e o lance da conversa entre os cellos e a batera mais intensos. Acho que é a música autoral mais pesada que já ouvi do apo. “Riot Lights”, mais rápida, começa com cellos pesados e um solando. Riff muito intenso, tem um efeito mais progy no meio, misturam elementos eletrônicos. Uma experimentação que ficou ainda com a cara do grupo, mais pela influência do cello que sola do que pelo restante. Sem letra…música instrumental. Diria, divertida. Na finalização ouvimos o mesmo riff executado com mais calma e com uma sonoridade que traz calma e reflexão.

Oitava… “Sea Song”, retorno ao clássico Apocalyptica. Cellos solando, voz calma, refrão pegajoso. Perfeita harmonia. Gostei do lance a partir do primeiro minuto, temos um cello solando e um alternando riffs com pausas, ficou bacana. …”You waded out, you waded out, the sea calls back to you”… Bonita. Estamos agora na companhia de “Till Death Do Us Part”! Pássaros, vento e u, cello no baixo.. outro com a melodia e um com acordes! Mais uma instrumental ao estilo Apocalyptica de ser. Ainda calma, mas aos dois minutos e meio, um belíssima progressão do mesmo riff se abre, mostrando o poder desses caras! Ficando cada vez mais intensa, com a bateria mais intensa. Fantástica! São quase oito minutos de puro êxtase. Distorção e melodia nos cellos, riffs marcados, bateria poderosa e progressão perfeita! No final… cello clássico, retorno ao riff do começo, e um único cello executando o mesmo bem baixinho…

E ai… pra finalizar, a mais cumprida de todas… ” Dead Mans Eyes”. Inicia com cellos clássicos, sem nenhum efeito, calmos, alternados com a voz de Frank, serena e calma. Letra romântica.. a lá “I´m Not Strong Enough”. Balada. Frank faz um belo trabalho vocal. Podemos ver a bateria se destacar nos pratos. E um cello com efeito alterna com o vocal a melodia. Aos quase seis minutos, uma pausa, ouvimos um barulho de chuva, um cello tímido ao fundo que toca o riff principal, e o riff de todas as outras músicas que já ouvimos, ficou incrível. Pra mim, vai virar um clássico do grupo!

Faixas bônus:

“Reign of Fear” – canção instrumental clássica desses caras… Me lembra “Path”, “No Education”… Não tinha visto o autor da mesma, mas Eicca me veio a cabeça. Sr. Toppinen, sempre se superando, e nos presenteando com sua geniosidade! “Come Back Down” – Frank aparece com uma voz mais rasgada, alternada com a voz limpa. Não entendi porque não está no álbum normal. Achei que tem tudo a ver com as outras composições. Riff marcado, efeitos diferenciados nos cellos, letra intensa, refrão marcante.. curti muito.

Parabéns Apocalyptica! Sou suspeita para falar… Muito fã! Obrigada pela obra prima.

ShadowMaker – Apocalyptica 2015

1. “I-III-V Seed of

Chaos” (instrumental)

2. “Cold Blood” Toppinen, Martin Hansen 3:27

3. “Shadowmaker” Toppinen, Johnny Andrews, Franky Perez 7:35

4. “Slow Burn” Toppinen, Andrews, Perez 4:44

5. “Hole in My Soul” Toppinen, Hansen, Perez 4:05

6. “House of Chains” Toppinen, Andrews 3:28

7. “Riot Lights” (instrumental) Toppinen 6:40

8. “Sea Song (You Waded Out)” Toppinen, Guy Sigsworth, Richard Walters 4:54

9. “Till Death Do Us

Part” (instrumental)

10. “Dead Man’s Eyes” Perez, Toppinen, Kivilaakso, Lötjönen, Sirén 9:42

Eicca Toppinen, Perttu Kivilaakso, Paavo

Lötjönen, Mikko Sirén

Kivilaakso 7:50

Versão Deluxe:

Contem mais dois sons: “Reign Fear” e Come Back Down”.

Line Up:

Perttu Kivilaakso – cello

Paavo Lötjönen – cello

Mikko Sirén – bateria e percussão

Eicca Toppinen – cello

Franky Perez – vocal

Nick Raskulinecz – produtor

Greg Fidelman – mixagem

Links

http://www.apocalyptica.com/en/

Tagged with:
2
Matéria enviada por Lucas Amorim

Similar articles