Amon Amarth e Abbath – Live in Rio de Janeiro

O Amon Amarth, um dos nomes mais respeitados do metal mundial na atualidade, confirmou recentemente a tão aguardada passagem da turnê promocional do devastador novo álbum “Jomsviking” pela América Latina, trazendo como special guest a banda norueguesa do lendário Abbath (ex-Immortal), e o último dia 26/05/2016, foi a vez do Rio de Janeiro ver esse grande espetáculo.

Com casa cheia era visível ver a empolgação do público pra início das apresentações que se iniciaram por volta das 20:30 com o lendário Abbath destruindo tudo em uma apresentação irretocável. Lembrando que vocalista guitarrista formou seu novo grupo em 2015, após resolver deixar o Immortal, denominando a nova banda simplesmente de Abbath.

O show foi irretocável e a banda tocou além de musicas de seu Debut, clássicos do Immortal como One By One, All Shall Fall e muitos outros clássicos que fizeram a galera na pista agitar muito, abrir moshs atrás de moshs no meio da pista. O destaque sempre fica para a irreverência e simpatia do vocalista que a todo momento, se comunica e brinca muito com a plateia.

Esse espetáculo só comprova que com toda certeza Abbath era a alma do Immortal, porem conseguiu se superar em um álbum sensacional, músicos competentes e muito carisma. Um show repleto de clássicos e memórias de um dos vocalistas mais respeitados da música extrema.

Já o Amon Amarth subiu ao palco por volta das 22:00 com muita energia, além de muito ovacionado pelo público, os considerados reis do viking metal Johan Hegg (vocal), Ted Lundström (baixo), Johan Söderberg (guitarra), Olavi Mikkonen (guitarra) e Jocke Wallgren (bateria) já começaram o espetáculo com Pursuit of Vickings e As Loke Falls, fazendo a galera da pista pular muito, não se importando com o calor que fazia naquela noite.

A banda que regressa ao Brasil nessa turnê promocional do devastador novo álbum “Jomsviking” pela América Latina, fez por merecer o título de uma das melhores bandas da atualidade, os caras sabem fazer um show amigos, tem peso, tem ritmo, tem carisma e tem muita música boa.

A banda é muito técnica e coesa, sem falar no vocal potente do gigante Johan Hegg, sempre com seu chifre na cintura e um sorriso para o público. Aliás por falar em público Não vi a plateia parar um segundo, e além do mais era visível como os caras queriam agradar o público, pois tentaram até uma conversinha em português com a galera, que retribua em sorrisos e aplausos.

Definitivamente um show espetacular selando uma dobradinha que com certeza vai ficar na história, dois shows inesquecíveis em uma noite de muito peso que reuniu dois estilos distintos com dois representantes gigantes, parabéns a Liberation pela inciativa, uma das profiras que mais está atuando no cenário atualmente, esses shows, assim como a produção, foram para aplaudir de pé.

 

 

Todas as fotos aqui

https://www.flickr.com/photos/alinenarducci/albums/72157682022712283/with/35205640106/

2
Matéria enviada por Lucas Amorim