Abraxas Fest – Live São Paulo

Por Bruno Nascimento

Fotos  – Fernando Yokota

Comemorando 5 anos de atividade, a produtora Abraxas não passou em branco, e celebrou a data com um belo festival com duas edições, em São Paulo, o time escalado foram as bandas Noala, ITD, Samsara Blues Experiment e Eyehategod.

Eu sempre gosto de comentar sobre os shows da Abraxas, que eles sempre procuram trazer novidade, uma banda que nunca veio ao Brasil (Eyehategod), ou uma banda com uma carreira mais contemporânea (caso do Samsara). Tudo isso é importante para estimular as pessoas a ouvirem coisas diferentes, além da renovação de cena e público.

Vamos aos shows, a primeira a se apresentar foi a banda paulista Noala, seguida pelos caras da Into The Dust (ITD). Interessante pela proposta e pelas influências, as bandas parecem beber da mesma fonte. Ambos trouxeram ao palco uma atmosfera densa, dois shows carregados de muito peso, e uma qualidade de som que não deve nada pra gringo nenhum.

              Foto de Fernando Yokota

Depois, os alemães da Samsara Blues Experiment, que retornaram ao Brasil após uma bem-sucedida turnê no ano passado. Dessa vez eles vieram ainda mais familiarizados com o público, o trio pareceu mais confortável e puderam soltar a mão nos riffs pesados. Aliás, que show, meus amigos, incrível como eles dosam o peso com a psicodelia e o perfeccionismo dos instrumentos. O sintetizador evoca as antigas bandas de Krautrock (movimento alemão de rock progressivo que surgiu na década de 70), já o vocal meio arrastado e distante serve apenas como um guia para a verdadeira viagem que é o instrumental, muito bem trabalhado, cheio de referências a Creem e Jimi Hendrix.

É nessa mistura de influências que a Samsara se credencia como uma das grandes bandas da atualidade. Eu poderia ficar vendo eles tocaram durante toda a noite.

A última banda a se apresentar foi o Eyehategod, e só posso dizer que pra mim foi uma tremenda surpresa, eles são melhores e ainda mais viscerais ao vivo. A guitarra soa como uma motosserra, Jimmy Bower, conhecido por ter integrado vários projetos de sucesso como Superjoint Ritual, Crowbar, Down entre outros, sabe como tratar a guitarra, que fuzz.

                 Foto de Fernando Yokota

Logo de cara, o vocalista Mike Williams já se mostrou animado e falou com o público, “São Paulo, essa é a nossa primeira vez aqui, não nos desaponte”. O vocalista também me assustou pela força de sua voz, sempre audível, mesmo com o restante dos instrumentos estralando. Williams poderia perfeitamente cantar numa banda crust/punk a voz dele é perfeita para isso. Os outros dois integrantes se completam muito bem, a bateria violenta de Aaron Hill e o baixo de Gary Mader, os quatro juntos fazem um barulho…

O setlist foi grande, e tinha pra todo gosto, sons numa linha mais pegada/punk e a tradicional levada sludge/doom, “Agitation! Propaganda!” e “Blank” ilustram esses dois lados da banda.

O show seguiu com Mike e Bower inspiradíssimos, brincado o tempo todo com a galera. As músicas mais celebradas foram as 5 “Take As Needed For Pain” (1993), disco mais aclamado da banda. Justo, de fato foi ali que a banda se encontrou e hoje é uma das referências do estilo.

O Eyehategod demorou muito para vir ao Brasil, mas o tempo valeu a pena depois desta passagem. Presenciamos um show de carisma e violência sonora.

 

SETLIST (Samsara Blues Experiment)

1-Shringara

2-Army Of Ignorance

3-Vipassana

4-One With The Universe

5-Center Of The Sun

SETLIST (EYEHATEGOD)

1-Agitation! Propaganda!

2-Jack Ass In The Will Of God

3-Parish Motel Sickness

4-Blank/Shoplift

5-Lack Of Almost Everything

6-Blood Money

7-Sisterfucker (part I)

8-Sisterfucker (part II)

9-Medicine Noose

10-Revelation/Revolution

11-Take As Needed For Pain

12-30$ Bag

13-New Orleans Is The New Vietnam

14-Dixie Whisky White Neighbor

15-Left To Starve

16-Serving Time In The Middle Of Nowhere

 

Tagged with:
2
Matéria enviada por Lucas Amorim

Similar articles