Overload Music Fest – Um Show de festival

0 Flares Filament.io 0 Flares ×

O Overload Music Fest foi um sucesso ! Já começo o texto com essa afirmação, tudo conspirou a favor, o Line Up, o público, à anergia das bandas, a pontualidade, tudo conspirou para que o evento fosse mais uma vez bem sucedido, e você fica sabendo de tudo que aconteceu nas linhas abaixo e através das lentes de nossa fotógrafa Aline Narducci, então vamos lá ?

 

VINCENT CAVANAGH

vincent-1

O renomado vocalista do Anathema foi o responsável por abrir as honras do festival. Como já havia dito acima a apresentação começou em ponto e o público  já era bom nesse momento, Vincent fez um show acústico solo, apenas ele e seu violão,utilizando alguns sistemas tecnológicos para gravar algumas batidas ou algumas bases  uma coisa muito inteligente que deu outros ares em sua apresentação.

Falando de setlist,  o mesmo foi formado  por uma série de sucessos de sua banda, o  Anathema.  como de “Untouchable”,  com direito a coro da platéia  a bela e sentimental “Fragile Dreams”, “Thin Air” e até mesmo  “Angelica”, que ficou uma obra de arte em sua versão acustica.

Uma apresentação muito legal, e inovadora, eu gostei muito e todo público aplaudiu também.  Vincent por sua vez  retribuiu o carinho e disse que espera em breve fazer mais shows com o Anathema pelo Brasil. Tomara que logo não é ?

 

 

LABIRINTO

labirinto

Com seu som experimental denso, repleto de texturas e dinâmicas, a banda paulistana Labirinto é sem dúvidas hoje um dos maiores representantes do post rock/metal feito na America Latina e provou isso fazendo um grande show que deixou os presentes de boca aberta com a complexidade de suas composições.

Nessa nova edição do Overload Music Fest, a banda retornou ao festival para apresentar seu som instrumental, enigmático e muito ténico, não dá para descrever, é preciso presenciar o feeling que esses  caras conseguem soar, eles são inéditos naturalmente, sem forçar a barra é uma explosão de ritmos e cadencia que vai ficando pesado e mais intrincado e vai lhe transportando a outra dimensão, é  mais que um show, e sim uma experiência.

 

ALCEST

alcest

Na sequência era hora de ver uma das bandas mais originais e legais da atualidade  o Alcest , dessa vez esperávamos uma apresentação sem grandes problemas, vez que a ultima passagem da banda por aqui em 2014, não foi das mais felizes e todos torciam para que tudo desse certo dessa vez. e deu, deu muito certo.

Para provar que vieram para fazer o melhor show da noite abriram o espetáculo com a épica “Écailles de Lune”, que foi tocada na íntegra e aplaudida em igual esplendor pela galera, que era contagiada por aquele clima que só o som do Alcest consegue transpassar. Poucas bandas atualmente estão tendo atitude para fazer um som exclusivo e o Alcest com toda certeza pode se vangloriar disso, pois fazem algo diferente e contagioso.

Falando do set  list, músicas como “Écailles,  “Souvenirs”, não poderiam faltar em uma explosão de ritmos , vocais, e timbres, associados a um clima mais soturno, sem falar nas partes mais agressivas que ficam perfeitas quando alternadas com passagens mais lenta,  em resumo o Alcest é uma banda perfeita, feita para você ouvir sem pressa. E ao vivo é uma banda mais perfeita ainda  na medida certa para quem quiser se emocionar.

 

KATATONIA

katatonia

E rapidamente era hora da ultima banda da noite, passou rápido, muito rápido e para fechar essa grande noite era vez do icônico Katatonia também subir ao palco para delírio da galera na pista. E já começaram bem com uma bela intro de piano e belíssimas músicas como  “Last Song”com um Renkse  muito bem com sua voz ou “Deliberation”,muito aplaudida pela galera, entre outros grandes sucessos que fez o povo sacudir o Carioca.

O katatonia tocou por duas horas e agitou a galera, fazendo uma apresentação irretocável, e o público merecia isso uma vez que eram nada mais, nada menos que cinco anos dos fãs aguardando pela banda. E cada segundo foi retribuído com boa música, diálogos, carinho e muita animação por parte de todos os lados.

A  nova formação com o guitarrista Roger Ojersson e o baterista Daniel Moilanen, foi muito elogiada por todos, uma vez que os caras estavam seguros e foram perfeitos em suas posições, esse foi com toda certeza um show que entrará na história do Festival e nós aqui na redação não vemos a hora de saber o que o Overload do ano que vem vai trazer, mas com certeza será coisa boa, pois até hoje o festival só deu bola dentro.

 

Confira abaixo a galeria de fotos completa deste maravilhoso evento

 

Overload Music Fest - Live Carioca Club - 04-09-2016

 

2
Matéria enviada por Lucas Amorim

Similar articles