Luca Turilli’s e Primal Fear – Encontro de Gigantes

Texto – Vinicius Coimbra

Fotos – Fernando Pires

Na noite de sexta feita 02/09/2016 o Tropical Butantã estava pra receber dois shows de grandes bandas do circuito do metal melódico mundial, nada mais nada menos, que o Primal Fear e a banda do virtuoso ex guitarrista do Rhapsody of Fire, Luca Turilli’s Rhapsody, ambas as bandas promovendo seus trabalhos novos, Luca Turilli com o disco “Prometheus” e o Primal Fear com “ Rulebreaker”.

Porém ocorreram alguns imprevistos antes  do show.pois  ainda na casa das 20:00 a fila ainda estava dobrando muito longa, sendo a situação regularizada somente após as 21:00 horas, para apresentação da primeira banda da noite  o Luca Turilli’s Rhapsdy.

 

             Fernando Pires

 

 Luca Turilli’s Rhapsdy

Pouco mais de 22:00 as luzes se apagaram e conseguíamos escutar as primeiras melodias de “ Nova Genesis” música que abre seu disco novo “Prometheus”, em seguida os músicos sobem ao palco abrindo o show com um clássico do Rhapsody of Fire “ Knightrider of Doom” fazendo os fãns da banda pirarem!

A banda seguiu com “Rosenkreuz” também do disco Prometheus  e em seguida tocaram duas músicas que são extremamente conhecidas pelos fãs do Rhapsody, “Land of the Immortals e Unholy Wacry” muito bem tocadas e demonstradas pela maestria de Luca Turilli.

             Fernando Pires

Percebia-se que a banda estava bem a vontade no palco, os músicos corriam , interagiam com a galera fazendo o show ficar cada vez melhor. O show teve seu momento calmo com a balada, ou melhor, prefiro chamar de música épica “Son of Pain” clássico do Rhapsody e muito bem cantada por Alessandro Conti, fazendo o show parecer uma ópera, continuando com “Prometheus” além de uma parada para um solo de bateria de Alex com o tema de Game of Thrones, porém ressalto alguns pontos negativos desse show, pois o som do Luca Turilli é bem orquestrado e a banda também estava sem tecladista, portando algumas músicas acabaram ficando muito artificiais, ocorreram muitos solos de teclado durante as músicas porém sendo que nem tinha tecladista no palco.

A banda seguiu com “Cigno Nero” bela canção cantada em italiano e incendiaram a platéia com os sons que viram pela frente, “The Pride of the Tyrant” e “Demonheart”, Luca Turilli soube trabalhar muito bem o Setlist misturando sons clássicos de sua carreira, e para finalizar e fazer a platéia cantar como corais mandaram “Dawn of Victory “ e a clássica e épica “Esmarald Sword” finalizando o show com chave de ouro.

 

             Fernando Pires

Primal Fear

Já eram quase 00:00 e algumas pessoas já estavam indo embora por causa do transporte público,   quando todos escutávamos os primeiros sons de “Final Embrace” com o Primal Fear  subindo no palco e destruindo tudo com os seus riffs pesados ! A banda estava animada e tocando com peso , já emendando com “ In the Metal We Trust” , “Angel in Black” e a faixa título do disco novo “Rulebreaker”.

As guitarras  muito bem sincronizadas juntamente com o vocal poderoso e rasgado de Ralph Scheepers fez a galera cantar cada som que a banda tocava com muita energia. Os caras continuaram com “Signo f Fear”, a bela balada “The Sky is Burning” e o hino clássico fazendo a casa pegar fogo “Nuclear Fire “. O show estava muito animado e pesado, mesmo o relógio batendo a casa das 01:00 hrs a galera cantava cada vez mais alto cada som, como “Angels of Mercy” , “The end is Near” e a clássica “ When Death Comes Knocking”seguida da pesada “Chainbreaker”.

 

             Fernando Pires

Após todas essas músicas é claro que não poderia faltar aquela. Quando Ralph Scheepers grita “Metal is Forever” a casa praticamente cai, fazendo a galera agitar até não querer mais, mostrando o por que o Primal Fear  na minha opinião é uma das melhores bandas atualmente, os caras continuaram com Rollercoaster e finalizaram com Running in the dust fazendo valer a pena cada segundo do show.

Ralph Scheepers ainda apreceu vestindo uma camiseta do Brasil e ambas as bandas agradeceram muito a presença dos fãs nessa noite de muito metal, apesar dos imprevistos que aconteceram , ambos os shows valeram cada segundo.

2
Matéria enviada por Lucas Amorim

Similar articles