Tuatha De Danann: “Resolvemos deixar de apenas bater cartão no Roça´n´Roll e voltar de verdade”

0 Flares Filament.io 0 Flares ×

epic-metal-fest

A primeira edição do Epic Metal Fest Brasil, com produção da Overload e curadoria da banda holandesa Epica, está confirmada para o dia 15 de outubro, na Audio Club em São Paulo. O festival terá dois palcos, sete bandas e muitas atrações extra, como food trucks, merchandising especial e sessões de meet and greet. A apresentação do Epica, show de lançamento do novo álbum, será única e exclusiva na América do Sul em 2016.

Além do impactante metal sinfônico do Epica, o público também vai curtir a performance marcante do lendário Paradise Lost (UK), o folk avassalador do Finntroll (FIN), o metal sinfônico Xandria (ALE) e conferir a estreia do The Ocean (ALE) no Brasil. A cena nacional será representada pelas bandas Project46 (SP) e Tuatha De Danann (MG)

E por falar em Tuatha De Danann, batemos um papo com o líder da banda Bruno Maia, que nos contou, algumas curiosidades sobre carreira, a volta da banda , e claro que a expectativa em torno do Epic Metal Fest, então com a palavra Bruno Maia.

tuatha-de-danann-promo-2016

Heavy World – Depois de um longo hiato e para a alegria de muitos finalmente o Tuatha de Danann retornou as atividades oficialmente com um novo álbum em 2015. O que levou o retorno da banda?

Bruno Maia – Na verdade, neste tempo em que a banda ficou oficialmente parada nós nunca deixamos de tocar. Sempre rolava pelo menos um show por ano no festival Roça´n´Roll e nestes shows a gente via como tinha muita gente que curtia a banda. Víamos inclusive uma nova geração nos abordando, tatuando os motivos da banda em seus corpos, cantando nossas músicas e acabou que resolvemos deixar de apenas bater cartão no Roça´n´Roll e voltar de verdade. Nós somos uma banda do interior, moramos próximos um do outro e posso dizer que crescemos juntos, alguns de nós tínhamos 13 anos quando começamos com essa banda.Então, além de tudo, da música, do metal, temos uma relação diferente uns com os outros… essa volta era questão de tempo.

 

Heavy World – Vocês retornaram já com um ótimo trabalho Dawn of a New Sun o que vocês acharam da recepção do público a este trabalho após tantos anos longe de um material novo da banda?

Bruno Maia – Quanto à recepção, hoje em dia é mais difícil quantizar por conta da forma de consumo da música, a internet e tudo mais, mas, pelo número da vendagem do cd, sua colocação nas listas de mais vendidos do Metal brasileiro e mesmo nas listas de “Melhores do Ano” em muitos veículos especializados, podemos dizer tivemos um ‘baita’ sucesso. Nos shows podemos ver como o pessoal canta as novas músicas e isso é o que não tem preço, o retorno é esse: a galera cantar nossa música.

thuata

Heavy World – Alguma vez você pensou que o Tuatha de Danann não retornaria as atividades?

Bruno Maia – Como disse, nos conhecemos e nos relacionamos há muitos anos, são mais de 20 anos que eu, Berne e Giovani tocamos juntos. É óbvio que nesse tempo tivemos brigas, desafetos e problemas que nasceram lá atrás e que por falta de maturidade não conseguimos resolvê-los e arrastamos essa zicaiada por muito tempo até que tudo explodiu… A banda parou e àquela época eu não pensava em voltar não, pensava que já era etc… Mas a gente evolui como pessoa, passa a entender melhor algumas estruturas e situações quando a olhamos de mais longe e acho que todos sacamos que podemos fazer muito mais juntos e que muitas de nossas desavenças eram pequenas e até bobeira perto de tanto tempo unido e criando né?

 

Heavy World – Como foi voltar a compor um novo trabalho após esses mais de 10 anos de hiato? Essas composições são todas recentes?

Bruno Maia – Na verdade, nós não nos afastamos da música. Todos os membros da banda mantiveram projetos ou montaram novas bandas quando o Tuatha parou. Eu já tinha lançado um projeto paralelo à banda em 2007 que fez shows até 2011. Era o projeto Braia( lançamos um cd no Brasil e na França e um DVD por aqui), nessa banda tocavam os também Tuathas Edgard Brito nos teclados e Giovani Gomes no baixo, além do Alex Navar na gaita de fole( que viria ingressar no Tuatha em 2014). Com a parada do Tuatha, a banda meio que se dividiu: de um lado, o Berne e o Giovani montaram o Tray of Gift, que lançou um cd e do outro lado eu, Edgard e Rodrigo Abreu montamos o Kernunna, que também lançou um cd. As composições do Dawn of a New Sun foram todas criadas para o álbum, exceto a faixa título que já existia( eu a compus quando soube que ia ser pai em 2006).

 

Heavy World – Vocês foram convidados para tocar no Epic metal Fest no mês de Outubro com um grande Cast como rolou esse convite ?

Bruno Maia – Pois é, foi super legal esse convite. Até onde sabemos, parece que foi a própria banda Epica que nos escolheu. Baum demais!

img_0451

Heavy World – O Tuatha de Danann sempre se apresenta em festivais nacionais como Roça and Roll por exemplo, mas como é a experiência de tocar em um fest com um cast predominantemente internacional?

Bruno Maia – Putz, será bem legal. Estamos meio acostumados com o lance de festivais, o timing etc…Já tocamos em uns bem lokos como o Wacken e Metal Bash na Alemanha, o Live n Louder aqui no Brasil além de outros com bandas gringas, mas este em especial, só por ter o Paradise Lost já brilhou mais.

 

Heavy World – Uma coisa legal que achei no festival é que vocês são Co_Headliner do evento tocando até mesmo depois de grandes bandas como o Paradise Lost, isso só comprova a história do Tuatha não acha ?

Bruno Maia – Que doidera!! Legal demais isso não? É uma grande honra e uma responsa ‘lazarenta’ pra nós. Tocaremos entre duas grandes bandas. Teremos de manobrar pra poder assistir pelo menos um pouco do Paradise Lost, pois adoramos a banda. É legal você citar especificamente o Paradise Lost, pois embora não seja aparente, eles são uma de nossas grandes influências. Quando começamos a banda em 94, nossos discos de cabeceira era Gothic e Shades of Gode.Fazíamos covers deles no início da banda, tocávamos Eternal do Gothic e The Word made Flesh do Shades of God, além de The Last Time do Draconian Time…vai ser foda!

 

efa6f2c857411d70692947b7ccbc6238

 

Heavy World – Falando de set list, por ser um festival a apresentação terá menos canções o que os fãs podem esperar?

Bruno Maia – Tem de ser, estamos pensando em criar alguns medleys que contemplem canções importantes de toda a carreira da banda e falar só Boa Noite e Obrigado hahaha.

 

Heavy World – Pra finalizar. Esse retorno do Tuatha é definitivo? Podemos esperar mais trabalhos um DVD ou algo do tipo? Quais os planos da banda ?

Bruno Maia – É sim, voltamos por vontade antes de tudo, uma gana de arte, uma demanda interna de produzir. Estamos ainda tentando entender os ditames do mercado metal contemporâneo, não no sentido das tendências e demandas, mas em como tudo funciona, as ‘estratégias’ a serem tomadas, essa coisa toda, sabe? Tem muita gente lançando só singles ou eps, enquanto outros acreditam no álbum, na turnê, no merchandising. Não sabemos ainda se lançamos um novo album já ou se vamos de pouco em pouco… O que sei é que vem mais coisa em breve, não voltamos só pra lançar o Dawn.

 

Heavy World – Agradecemos a oportunidade e e pedimos que deixem um recado para nossos leitores!

Bruno Maia – Agradeço o espaço cedido à banda, valeu mesmo, e gostaria de agradecer a todo mundo que nos apoia, que vai a nossos shows, que compra nossos cds, camisetas etc…Graças a essas pessoas conseguimos fazer a banda continuar produzindo… Apoiem as bandas que vocês curtem adquirindo material e indo a seus shows pra coisa continuar…Valeu a todos esse tempo todo e nos vemos por ae…

 

emf2016-br-v5b-725x1024

AINDA RESTAM POUCOS INGRESSOS SAIBA MAIS ABAIXO

Apesar da grande procura, ainda há ingressos de pista à venda na bilheteria da Audio, no site da Ticket 360 (https://www.ticket360.com.br/evento/5726/epic-metal-fest) e devidos pontos autorizados pela empresa. Os setores pista premium e mezanino estão esgotados. Mais informações abaixo.

O sucesso de vendas está por conta do imperdível pacote COMBO, o qual dá direito a um ingresso e ao disco “The Holographic Principle”. Este CD é duplo, versão nacional e será autografado pela banda. A entrega será em mãos no dia do evento. Mais informações no serviço abaixo.

Responsável pela realização do evento, a Overload pretende promover uma experiência mais do que especial. Além dos shows, o público poderá ainda usufruir de uma ampla área ao ar livre, praça de alimentação com food trucks, áreas de bar, área de merchandising, meet and greet com alguns artistas, entre outras novidades. O espaço também disponibiliza facilidades como estacionamento, guarda-volumes, posto médico, banheiros, entre outros.

 

Serviço EPIC METAL FEST BRAZIL 2016
Overload orgulhosamente apresenta Epica (HOL), Paradise Lost (UK), Finntroll (FIN), Xandria (ALE), The Ocean (ALE), Tuatha de Danann (BRA) e Project46 (BRA)
Data: 15 de outubro de 2016
Local: Audio
Endereço: Av. Francisco Matarazzo, 694 (próximo ao Terminal Rodoviário/Metrô Palmeiras – Barra Funda)
Abertura da casa: 13h | Início dos shows: 14h30 | Previsão de término: 21h30
Assessoria de Imprensa: press@theultimatemusic.com
Evento Fb: https://www.facebook.com/events/844867092307384
Classificação etária: 16 anos
Menores de 16 anos: entrada permitida com responsável legal, mediante apresentação de documento

INGRESSOS:
Pista Promocional*: R$ 220,00
Pista Promocional* + CD: R$ 260,00
Mezanino – ESGOTADO
Pista Premium – ESGOTADO
*O ingresso promocional antecipado é válido mediante a entrega de 1 kg de alimento não-perecível na entrada do evento. Tudo que for arrecadado será doado ao projeto Pari Sem Fome, que auxilia moradores de rua e refugiados estrangeiros nas regiões do Pari, Canindé e Centro

Venda online (com taxa de conveniência): https://www.ticket360.com.br/evento/5726/epic-metal-fest
Ponto de venda (sem taxa de conveniência): Bilheteria da Audio (Horário de funcionamento: de Segunda à sábado das 13h às

20h)

2
Matéria enviada por Lucas Amorim

Similar articles